Prefeitos sugerem nova ponte e mais verba à Defesa Civil

Vale do Taquari

Prefeitos sugerem nova ponte e mais verba à Defesa Civil

Comissão parlamentar visita a região para acompanhar entregas dos governos federal e estadual. Como resultado, ouvem demandas por nova ponte entre Lajeado e Estrela, compra de equipamentos para reforçar proteção e amparo das comunidades

Por

Prefeitos sugerem nova ponte e mais verba à Defesa Civil
Comitiva parlamentar elabora um relatório sobre as entregas dos governos estadual e federal. (Foto: Filipe Faleiro)
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

“Se a água subisse mais meio metro, a ponte sobre o Rio Taquari, entre Lajeado e Estrela, entraria em colapso. Estaríamos até agora ilhados, com um prejuízo inimaginável”. Com essa afirmação, o prefeito de Estrela, e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), Elmar Schneider, abriu as considerações dos gestores da região nessa sexta-feira durante audiência.

Chamada pela Comissão Parlamentar de Acompanhamento sobre os Impactos das Enchentes, da Assembleia Legislativa, a reunião ocorreu no escritório federal no Vale do Taquari, em Lajeado. “Precisamos de melhorias na infraestrutura para não ficar refém de um acesso”, reforça Schneider.

“Viemos para ouvir os prefeitos, os empresários e os líderes da região. Queremos saber como estão as entregas prometidas pelos governos estadual e federal”, realça o presidente da comissão, o deputado estadual, Miguel Rossetto (PT).

Além da solicitação de uma nova ponte, os prefeitos também detalharam algumas dificuldades enfrentadas durante a enchente dos dias 4 e 5 de setembro. “Antes de chegar em Cruzeiro do Sul, tivemos um apagão de dados. Ficaram os prefeitos ‘brincando’ de Defesa Civil. Precisamos ter mais formas de monitoramento”, diz o prefeito de Cruzeiro do Sul, João Dullius.

Em cima disso, os gestores da região sugeriram que parte das emendas parlamentares dos deputados (cada um tem direito a R$ 2 milhões por ano, sendo a metade direcionada à saúde) seja para o Vale do Taquari. Para compra de equipamentos, veículos e, até mesmo, para um helicóptero de resgate, ficar a disposição das Defesas Civis. “Se não tivesse o socorro aéreo do Estado, do governo federal e do Exército, teriam morrido muito mais pessoas”, realça Dullius.

Após a reunião em Lajeado, a comitiva parlamentar foi visitar Encantado, Roca Sales e Muçum. Além do deputado Rossetto, estiveram presentes Edivilson Brum (MDB), Guilherme Pasin (PP) e Capitão Martim (Republicanos).

Ao término das agendas, a comissão parlamentar elaborou um relatório sobre as atividades, os pedidos dos líderes locais, e também sobre em que fase estão as políticas públicas prometidas pelos Executivos.

Duas preocupações

Na avaliação de Rossetto, passados mais de dois meses da enchente, a urgência neste momento é a garantia de moradia às famílias atingidas e o amparo para retomada produtiva das empresas.

“Apuramos detalhes. O que sabemos no momento é que a liberação de recursos ocorre de forma ágil. Isso é muito importante. Agora, precisamos fazer com que as linhas de crédito cheguem para quem mais precisa.”

Acompanhe
nossas
redes sociais