“Levei um susto, foi bem na minha frente”, diz caminhoneiro

RAIO NA BR

“Levei um susto, foi bem na minha frente”, diz caminhoneiro

Segundo Antônio Mantovani, fluxo era lento e garoava. Vítima caiu após fenômeno e não reagiu. Pneu pode conduzir energia, dizem especialistas

Por

Atualizado segunda-feira,
07 de Agosto de 2023 às 18:18

“Levei um susto, foi bem na minha frente”, diz caminhoneiro
Caminhoneiro Antônio Mantovani presenciou raio atingir motociclista (Foto: Antônio Mantovani)
Lajeado

O caminhoneiro Antônio Mantovani, de 53 anos, presenciou o momento em que um raio atingiu um motociclista na manhã desta segunda-feira, 7, na BR-386, em Lajeado. A vítima João Pedro Rambo, 57, não resistiu e morreu no Hospital Bruno Born (HBB).

LEIA MAIS: Identificado motociclista morto por raio na BR-386

Conforme relato, Mantovani seguia pelo quilômetro 343 da rodovia, próximo da indústria Moamar. O trânsito era lento e às vezes até parava. O céu tinha nuvens e garoava. Na sua frente, o motociclista e uma caminhonete. “Aí deu um raio. Levei um susto. Foi bem na minha frente aquela bola de fogo. O motorista desabou.” Neste momento uma forte chuva começa.

Logo depois, o motorista de carga se aproximou com outros condutores para prestar socorro. Verificaram a aparente falta de presença dos sinais vitais. Mantovani mora em São José dos Cedros, Oeste de Santa Catarina. Ele saiu da cidade no domingo, 6. Nesta manhã, 7, no momento do incidente, dirigia-se de Soledade a Garibaldi. Trabalha em uma transportadora, com sede em Esteio.

Pneu conduz raio, diz MetSul

Segundo publicado pela MetSul, com base em relatos de físicos, a voltagem do raio é tão alta que os pneus, de isolantes, passariam nesse caso a se comportar como se fossem condutores, ou seja, permitiriam a passagem das cargas elétricas.

No caso de automóveis, oferece proteção porque as cargas elétricas ficam distribuídas de forma homogênea em torno da estrutura do veículo. Assim, dentro do carro não há movimentação dessas cargas, de forma que o campo elétrico no interior é nulo.

Já com as motos e bicicletas não há blindagem metálica em cima da cabeça do motociclista e o risco é muito superior. Ainda conforme a MetSul, há muitos casos nos Estados Unidos de mortes de motociclistas por raios nos últimos anos e alguns documentados também no Brasil. Em maio de 2014, um motociclista morreu após ser atingido por um raio enquanto transitava pela Free-way.

Sobre a vítima

O motociclista que morreu após ser atingido pelo raio foi identificado como João Pedro Rambo, 57. Ele era natural de Santa Clara do Sul e residia na localidade de Bauereck, interior de Forquetinha.

A identidade dele foi confirmada pela empresa onde trabalhava como auxiliar de motorista, em Lajeado. Segundo a PRF e concessionária que atenderam a ocorrência, o incidente na rodovia foi às 8h24min, dessa segunda-feira,7.

Rambo chegou a ser encaminhado ao Hospital Bruno Born, mas não resistiu e teve o óbito confirmado às 8h50min. Os atos fúnebres ocorrem na capela mortuária da Comunidade Evangélica IECLB, de Forquetinha. O sepultamento será hoje, às 10h.

Acompanhe
nossas
redes sociais