Medidas contra estiagem são consideradas insuficientes

Opinião

Felipe Neitzke

Felipe Neitzke

Coluna aborda os destaques relacionados ao agronegócio

Medidas contra estiagem são consideradas insuficientes

Por

Medidas contra estiagem são consideradas insuficientes

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura no RS (Fetag) emitiu nesta semana nota oficial sobre as medidas anunciadas pelo Governo Federal. A manifestação ocorre após a publicação no Diário Oficial da União do rebate de 25% nos financiamentos de custeio pecuário para a agricultura familiar. Contudo, há limite de R$ 12 mil por operação. Na pauta entregue pela federação e sindicatos, o pedido era por 35%. O rebate para a safra 2022/2023 vale para as parcelas vencidas, vincendas e prorrogadas, no período entre janeiro e dezembro de 2023.

Momento de armazenar água

O período chuvoso iniciou, além de amenizar a crise hídrica após quatro anos sob a influência do fenômeno La Niña, é a oportunidade para a reserva de água. Ainda assim, os investimentos e aportes para essa finalidade pouco avançaram. Aliás, estruturas que deveriam estar prontas, pelo fato das dificuldades em escavar açudes a partir de agora com a maior frequência de dia com chuva, pelo menos até outubro. Pelas projeções de institutos de meteorologia, o retorno do El Niño trará risco de enchente à região e pode comprometer inclusive o desenvolvimento das culturas de inverno.

Preço do leite e a importação

O aumento do volume de leite importado da Argentina e Uruguai gera preocupação aos produtores do RS. Segundo dados da Frente Parlamentar da Agropecuária Gaúcha, as importações no Brasil tiveram uma receita total de US$ 263,2 milhões entre janeiro e abril, 286,4% a mais que no mesmo período do ano passado. A proposta de parlamentares é a adoção imediata, em nível nacional, da taxação em 12% para importação de leite e derivados do Mercosul. Esse é um dos objetivos para evitar a desvalorização ao produtor local. Por outro lado, medida pode impactar no custo ao consumidor e deixar o leite mais caro nas prateleiras dos supermercados.


Formação desperta ao protagonismo dos jovens no campo

Contribuir na permanência dos jovens no meio rural. Esse é o propósito da capacitação oferecida pela Emater/RS-Ascar e pelo Colégio Teutônia, com apoio das cooperativas Sicredi e Certel. O curso de Empreendedorismo e Empreendedorismo e Desenvolvimento para a Juventude Rural conta com a participação de 23 jovens entre 16 e 29 anos dos municípios de Estrela, Fazenda Vilanova, Poço das Antas, Teutônia e Barão. Com atividades teóricas e práticas, a intenção da qualificação é a de construir junto com os jovens projetos de atividades agropecuárias viáveis em suas propriedades. Com seis módulos a serem desenvolvidos entre os meses de julho e dezembro, a capacitação terá assuntos diversos, que vão desde relacionamento intrafamiliar, até chegar a temas ambientais e de gestão da propriedade.

Foto: Divulgação


Patrimônio cultural imaterial do RS

A erva-mate tornou-se o primeiro patrimônio cultural imaterial do RS. A oficialização ocorreu em uma cerimônia nesta semana no Piratini. Significa que tem relevância histórica e social para ser perpetuado. Dessa forma, cria-se uma estratégia de desenvolvimento das cidades onde há o cultivo. Nesse sentido, o Vale do Taquari se destaca, ao produzir cerca de 60% de toda massa verde. Além disso, é desenvolvido o trabalho de pesquisa para conquistar o registro de identidade geográfica do produto.

 

Acompanhe
nossas
redes sociais