Dália colhe mais de 12 mil toneladas de milho silagem

AGRO EM PAUTA

Dália colhe mais de 12 mil toneladas de milho silagem

Há um ano, o Setor Grãos foi instituído para atuar de forma integrada com produtores das granjas de leite em lavouras de milho contratadas para corte de silagem

Por

Dália colhe mais de 12 mil toneladas de milho silagem
Foto: Rodrigo Gallas
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Há um ano, o Setor Grãos foi instituído pela Dália Alimentos para atuar de forma integrada com produtores das granjas de leite em lavouras de milho contratadas para corte de silagem. Para isso, foi estruturada a assistência técnica com a parceria de produtores, além de cinco áreas próprias para ampliar as parcerias com produtores interessados na venda de milho grão.

Entre 2022 e 2023, a nova modalidade rendeu a colheita de mais de 12 mil toneladas de milho silagem. Em entrevista ao quadro Agro em Pauta, da Rádio A Hora 102.9, o supervisor do setor de grãos da Dália Alimentos, Roni Roese, e a engenheira agrônoma da cooperativa, Letícia Piccinini, detalham os avanços.

Segundo Roese, destacaram-se as lavouras da região de Candelária, onde foram plantados 82 hectares de milho silagem para abastecimento da granja. Devido ao bom desempenho, a produtividade será suficiente para o período de 15 meses. O plantio foi realizado no final de julho e início de agosto, resultando na produção de 3.291.618 quilos de silagem, uma média de 40.141 quilos/hectare e 38% de matéria seca.

“Mesmo com períodos de carência hídrica na região, os números foram bons. Os produtores foram bem receptivos à assistência técnica e agiram com profissionalismo, seguindo as orientações de plantio, adubação e tratos culturais. O resultado apareceu em volume e qualidade da silagem produzida”, avalia Roese.

Eles explicam que desde a década de 70, o RS planta cada vez mais soja, e menos milho. No entanto, nos últimos dois anos, o milho se tornou mais atrativo devido à boa margem ao produtor, motivo pelo qual a cooperativa criou o setor.

Assista a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais