Futura rodoviária de Estrela

Opinião

Raica Franz Weiss

Raica Franz Weiss

Futura rodoviária de Estrela

Por

HÁ 50 ANOS

O prefeito Gabriel Mallmann e o empresário Eugênio Noll visitavam o local de construção da nova rodoviária de Estrela, nas proximidades do trevo da Rodovia Presidente Kennedy (BR-386). A estação seria construída dentro da área de terras que o município havia desapropriado há alguns dias, para a construção do Parque 20 de Maio.

De fato, a nova rodoviária de Estrela foi construída no local, junto a Av. Rio Branco, onde continua até hoje. As obras foram concluídas em 1975 e, por muitos anos, a estação foi considerada uma das mais bem estruturadas do Estado.

Antes disso…
A história da estação rodoviária de Estrela começou com a grande enchente de 1941. A cheia inviabilizou a travessia pelo rio Taquari e exigiu outro meio de transporte da comunidade. Assim, a rodoviária teve início junto ao estabelecimento comercial Gaussmann, na esquina da rua Fernando Abott com a Marechal Floriano.
A estação logo mudou de local e, em 1943, já sob a gerência de Oscar Noll, foi instalada no recém inaugurado Abrigo Municipal, construção que ficava no terreno da Praça Menna Barreto.

Em 1947, para dar mais conforto aos passageiros, Oscar Noll construiu um novo prédio para a rodoviária, na rua Tiradentes, ao lado de onde fica o Banrisul hoje. Nos anos seguintes, Eugênio Noll assumiu a rodoviária, junto de Inácio Lenhardt. Assim, na década de 1970, iniciaram as tratativas para a instalação na Av. Rio Branco.

A antiga rodoviária na rua Tiradentes

Construção da atual estação, na década de 1970

 

 

 

HÁ 20 ANOS

Padre lançava livro de piadas
Duas décadas atrás, o diretor do Seminário Sagrado Coração de Jesus, de Arroio do Meio, Padre Miguel Wagner, lançava seu terceiro livro. Intitulada “Coletânea de Mil Piadas”, a obra, conforme o padre, tinha o intuito de levar alegria às pessoas. Para ele, sorrir era “uma ginástica para o rosto e para a alma”.

O livro tinha começado a ser elaborado há cerca de um ano e meio e reunia mais de mil “piadas de salão”, como o religioso chamava. As anedotas foram coletadas de diversos outros livros e depois foram selecionadas pelo autor.

História do Padre Miguel
Nasceu em 1926, na localidade de Trombudo, hoje, município de Vale do Sol. Estudou no Seminário São José, de Gravataí, e no Seminário Central Nossa Senhora da Conceição, em São Leopoldo.

Foi ordenado sacerdote em 1954 e, em 1957, se tornou vigário na Paróquia São Gabriel, de Cruzeiro do Sul, onde ficou por 20 anos. Também atuou em Sinimbu, em 1998, onde lançou um livro sobre a história da cidade. Estava no Seminário de Arroio do Meio desde 2001. Conforme o registro de óbito, o Padre Miguel faleceu em 2010.

Acompanhe
nossas
redes sociais