Vereador da região alta busca apoio para criar associação

PROPOSTA

Vereador da região alta busca apoio para criar associação

Ideia partiu de parlamentar de Anta Gorda. Intenção é contribuir com a recém-criada Amat, composta por municípios que romperam com a Amvat no ano passado

Por

Atualizado sexta-feira,
20 de Janeiro de 2023 às 12:50

Vereador da região alta busca apoio para criar associação
Vereador sugeriu que a câmara de Anta Gorda sedie futura associação. Crédito: Divulgação
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Um movimento surgido na câmara de vereadores de Anta Gorda busca viabilizar a criação de uma entidade que represente os parlamentares da região alta do Vale do Taquari. O ofício, de autoria de Alvimar Tremea (MDB), foi encaminhado para os Legislativos dos municípios vizinhos. A iniciativa, contudo, não repercutiu bem na Associação dos Vereadores do Vale do Taquari (Avat).

Alvimar Tremea (MDB), vereador de Anta Gorda

No documento, Tremea argumenta como importante a formação de uma associação dissociada da Avat, “com o objetivo de fortalecer e buscar as demandas de maior interesse da região, que muitas vezes não se confundem com os objetivos dos demais membros da Avat”.

À reportagem, Tremea esclarece que a ideia de propor uma nova associação é uma forma dos vereadores serem solidários com a recém-criada Associação dos Municípios do Alto Taquari (Amat). A entidade é fruto do rompimento de prefeitos da região alta com a Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), ocorrido em meio às discussões sobre o plano de concessão das rodovias estaduais.

“Nossa região aqui é um pouco diferente dos grandes centros, como Lajeado e Estrela. Temos uma diversificação grande, com destaque para a produção ervateira. Arvorezinha, Ilópolis e Anta Gorda estão entre os maiores produtores do RS. Fora o nosso potencial turístico. Então temos um potencial. Mas ainda vamos avaliar isso”, salienta.

Discussão democrática

Vereador em quinto mandato, Tremea possui boa relação com os parlamentares da região. Inclusive, faz parte da atual diretoria da Avat e deve permanecer no grupo, após a eleição do novo presidente.

“Eu tenho um grande carinho pela entidade, uma relação ótima com o Mariante (Leandro, atual presidente). Atuei até na época do Flávio Ferri (ex-vereador de Lajeado)”, recorda. Por conta do “bom papel” desempenhado pela Avat, Tremea salienta que a discussão sobre a criação ou não da nova entidade será democrática. “Queremos tomar uma decisão conjunta, sempre respeitando a maioria. Por isso vamos ouvir o que os demais colegas dizem. É uma ideia que ainda precisa amadurecer. Por enquanto, seguimos filiados à Avat”.

Preocupação

Procurado, o atual presidente da Avat, Leandro Mariante (PT), enxerga com preocupação o movimento na região alta. Para ele, deve prevalecer a união entre os parlamentos, independente da situação ocorrida entre os prefeitos da região.

“Nós vimos com preocupação tal iniciativa, pois acreditamos que, quando mais unidos estivermos, mais fortes seremos enquanto representatividade. As divisões nos enfraquece perante os entes federais e estaduais. Unidos estamos e assim devemos permanecer”, frisa. Hoje, das 26 câmaras associadas à Avat, 11 são de cidades cujos prefeitos romperam com a Amvat: Encantado, Relvado, Vespasiano Corrêa, Nova Bréscia, Ilópolis, Doutor Ricardo, Dois Lajeados, Anta Gorda, Muçum, Roca Sales e Coqueiro Baixo.

Na manhã desta sexta-feira, 20, o vereador com Alvimar Tremea concedeu entrevista à Rádio A Hora para detalhar o assunto. 

Ouça a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais