“O contato com a arte sensibiliza as pessoas”

ABRE ASPAS

“O contato com a arte sensibiliza as pessoas”

Marcelo dos Santos Silva, 23, trabalha com assistência técnica de celulares e é integrante da Jazzera Trio. Na terça-feira, 17, o morador de Lajeado, junto dos colegas de banda, ministrou o Workshop sobre Jazz promovido pela Casa de Cultura

Por

Atualizado quinta-feira,
19 de Janeiro de 2023 às 16:20

“O contato com a arte sensibiliza as pessoas”
Crédito: Arquivo Pessoal
Gustavo Adolfo 03

Como começou a sua relação com a música?

Começou bem cedo. Quando ainda estudava no ensino fundamental tive contato com a música por causa das minhas amizades. Assim foi surgindo um desejo não só de escutar a música, mas também de conhecer mais e fazer ela acontecer.

E o grupo “Jazzera Trio”, como surgiu?

Surgiu em 2019. Neste ano eu voltei do quartel e voltei a fazer aula com o Zoca Jungs. Então ele me colocou junto de alguns outros alunos dele, o Estevan Junges (baixo), Eduardo Xavier (teclado) e Fernando Bergman (trompete). Eles estavam fazendo aula de repertório, um estilo não muito comum aqui na região, mas que tem o intuito mostrar como vai ser o comportamento de um instrumento quando tocando no meio de outros. O que fazer ou o que não fazer, como acompanhar fazer harmonia ou melodia.

Então, nesse grupo, além dos integrantes terem o seu estudo individual, tinha agora um estudo coletivo, que com o tempo foi evoluindo. Aí tivemos o desejo de levar isso até as outras pessoas, para mostrar a experiência que temos tido com os estudos e apresentar o estilo musical.

O que caracteriza o jazz?

Muito característico do jazz é o espaço que os instrumentistas têm para criar uma performance e solar improvisos. Um exemplo, é o Jazz Era Trio que toca jazz instrumental, porém, muitas das músicas que são tocadas por nós, possuem letras e são cantadas.

Durante o workshop sobre jazz você e seus colegas falaram sobre as principais fases do gênero, as características e como cada instrumento se comporta. Qual a importância do jazz para a cultura que conhecemos hoje?

Exato. A importância do jazz é esse contato com o improviso instrumental, que coloca a criatividade, sentimentalismo e também o conhecimento do instrumentista. Não só no Jazz mas a música instrumental no geral, o som pode trazer um sentimento até onde uma poesia não levaria, ou deixaria aberto para interpretações. Por isso eu entendo a importância do contato com este estilo musical que é o jazz.

Como você percebe o cenário artístico da região?

Eu percebo que está evoluindo. Temos mais pinturas, mais fotografias, aos poucos mais eventos que dão oportunidades para apresentações ao vivo voltadas para músicos da região. Porém, precisa seguir evoluindo mais e mais. O contato com a arte sensibiliza as pessoas e traz interpretações que podem mudar a lente pelo qual os olhos enxergam.

Acompanhe
nossas
redes sociais