Motoristas criticam demora para quitar o estacionamento rotativo

LAJEADO

Motoristas criticam demora para quitar o estacionamento rotativo

Condutores expõem necessidade de mais pontos de recarga. Empresa alega dificuldades na contratação e assiduidade de trabalhadores. Em média, 12 funcionários faltam ao trabalho por dia

Por

Atualizado quarta-feira,
11 de Janeiro de 2023 às 08:23

Motoristas criticam demora para quitar o estacionamento rotativo
Rotativo de Lajeado conta com 1,2 mil vagas e cerca de 30 monitores . Crédito: Felipe Neitzke
Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

O tempo de isenção e a falta de pessoal para receber os pagamentos geram queixas sobre o estacionamento rotativo. O serviço sob responsabilidade da Stacione compreende pelo menos 1,2 mil vagas na área central de Lajeado e conta com 30 funcionários entre área administrativa e operacional. Com tolerância de até 10 minutos, motoristas alegam período insuficiente para localizar um monitor. “Caminhei três quadras e não encontrei o fiscal.

Quando voltei já tinha bilhete que indicava multa”, relata o aposentado Marcos Winter. Ele reclama que entre novembro e dezembro desembolsou R$ 50 em avisos do estacionamento rotativo.  Outros motoristas descrevem situações similares. De acordo com a empresa, há um déficit na equipe. Na semana passada a demanda era de pelo menos 12 profissionais, agora seis postos de trabalho ainda estão em aberto.

Além da dificuldade em contratar funcionários, outro problema apontado é a falta de assiduidade. Em média 30% do quadro de profissionais falta ao trabalho por dia. São de dez a 12 monitores a menos para a cobrança do rotativo. Os motivos são diversos e apurados de forma individual pela empresa.

De acordo com o responsável operacional da Stacione, Alexandre Kasper, as faltas exigem a reorganização de roteiros, mas, mesmo assim, considera o atendimento ao público satisfatório perante os parâmetros de adimplência. Segundo ele, a taxa histórica de pagamento chega a 93%.

“Dos 7% que não pagam na hora, pelo menos a metade faz o acerto posterior. Com isso, nosso índice de inadimplência é baixo, fica na faixa de 2,5%”, observa Kasper. Pela avaliação do responsável da Stacione, esses números indicam que os motoristas conseguem utilizar as ferramentas de recarga e fazer o contato com os monitores na rua.

Em relação aos formatos de pagamento mais usados, pelo menos 75% são por meio de recarga. Uma avaliação nos demais mecanismos de cobrança fez com que a empresa retirasse os 23 parquímetros. Pelo relatório da Stacione, os equipamentos representavam apenas 0,43% dos valores arrecadados. No último mês de funcionamento, em outubro do ano passado, recolheram R$ 1 mil nos dispositivos.

Cobrança por Pix

Para facilitar o pagamento por parte dos motoristas, a Stacione avalia implementar outras modalidades de cobrança. Ainda durante o ano passado houve a reformulação do aplicativo. A próxima medida prevista é a inclusão de Qr Code nos bilhetes de estacionamento para quitar o valor por meio do Pix.

Nova área azul

Desde dezembro a Stacione iniciou a cobrança na avenida Alberto Pasqualini, desde a rua Júlio de Castilhos até o acesso à BR-386. São mais 196 vagas oferecidas. Pelas avaliações iniciais a ocupação ficou na faixa de 60% a 70%.

Sistema rotativo de Lajeado

  • 30 monitores;
  • 1,2 mil vagas cobradas;
  • 2,5% taxa de inadimplência.

Acompanhe
nossas
redes sociais