2022: um ano  de ajustes para  as startups

Opinião

Rafael Zanatta

Rafael Zanatta

Head do Vibee Unimed

2022: um ano de ajustes para as startups

Por

Gustavo Adolfo 03

O ano de 2022 foi desafiador para as startups que precisaram captar recursos para financiar seu crescimento. Isso porque 2022 se transformou num ano de ajustes pesados na forma como os fundos de investimento lidam com as oportunidades que aparecem em suas mesas.

Esse cenário já vinha se desenvolvendo há alguns anos, uma vez que o volume de recursos captado pelos fundos de investimento fez com que o preço para investir numa startup se tornasse cada vez mais alto. É uma regra simples da economia: quanto mais pessoas interessadas no “seu produto” (ou nesse caso, na sua startup) mais ela vai valer.

E foi isso que aconteceu.

Com muito dinheiro em caixa, os fundos começaram a oferecer valores que não eram compatíveis com a realidade do mercado, mas caso ele não aceitasse as condições, a startup facilmente encontraria outro investidor interessado em depositar os recursos e virar sócio do projeto.

Em 2022, no entanto, essa realidade mudou de figura. Uma onda de realismo passou a tomar conta dos investidores e vários começaram a se perguntar se aqueles negócios avaliados em bilhões de dólares tinham realmente a capacidade de gerar retorno suficiente para justificar o que já havia sido investido.

A palavra de ordem, que antes era “crescimento a qualquer custo”, passou a ser “gerar faturamento”, e muitas startups precisaram readequar suas realidades, concentrando esforços em começar a faturar. Foi esse fator que levou centenas de startups e empresas de tecnologia a demitirem em massa vários dos seus colaboradores. Se antes havia recursos para projetos de crescimento, agora o foco deveria ser em cortar custos e garantir que o dinheiro em caixa fosse suficiente para sobreviver.

A boa notícia é que, por mais que tenha ocorrido essa correção, os fundos de investimento ainda possuem muito dinheiro para realizar investimentos em startups. São fundos que captaram ao longo dos últimos anos e seguem à procura de bons empreendedores e bons produtos. É claro que eles estão mais diligentes e interessados em entender como a startup vai gerar resultados no médio e longo prazo, mas de forma alguma perderam o apetite por bons negócios.

É por isso que provavelmente no curto prazo você não verá o surgimento de tantos unicórnios como ocorreu em 2021, mas se você tem uma startup e busca investimento para acelerar o seu crescimento, pode ficar tranquilo que recursos para esse financiamento não vão faltar. Apenas certifique-se que o seu projeto tem uma lógica correta de funcionamento e que você tem uma ideia clara de como ele vai ser capaz de ser rentável. A era das startups que existiam apenas com os recursos dos investidores parece ter chegado ao fim.

Acompanhe
nossas
redes sociais