Uma viagem pelo rio

Opinião

Bibiana Faleiro

Bibiana Faleiro

Jornalista

Colunista do Caderno Você

Uma viagem pelo rio

Por

Da janela de um barco, é possível ver muita natureza e, no deck de um barco, reviver muitas memórias. O início das cidades do Vale se deu pelo rio e muitas famílias navegavam pelas águas, seja para transportar produções, pescar e passear. De todo modo, há anos, uma viagem náutica entre Lajeado e Taquari não era feita.

Talvez essa lacuna de saudade, como dizem por aí, fez com que o último passeio do Cisne Branco, que se despediu do Vale na quarta-feira, trouxesse tantas emoções. Houve quem recordasse os tempos de criança. Outros que subiram a bordo pela primeira vez. Eu era uma observadora naquele ambiente. Mas também fui tocada pela aventura.

A tarefa era reportar tudo o que acontecia no caminho até Taquari. Voltei pra redação com muitas fotos e vídeos. E com um acervo muito maior de histórias. O jornalismo tem dessas coisas e é isso que faz a profissão tão diferente.

A bordo da embarcação, a passagem pela barragem de Bom Retiro do Sul foi uma das experiências. Outras foram os próprios passageiros. A identificação do A Hora na camiseta do trabalho me fez ser reconhecida naquele barco em que, de turista mesmo, só tinha eu.

As 5 horas renderam boas linhas na reportagem do jornal deste fim de semana. Mas também alguns amigos que, na volta a Lajeado com o ônibus de turismo, me encontraram nas redes sociais. Acho que ser conhecida não tem a ver com fama, mas com a possibilidade de deixar com que as pessoas te conheçam. E, a cada reportagem que vou fazer, acho que deixo um pouquinho de quem eu sou no lugar, para trazer um pouquinho dele comigo.

Aquele passeio a Bordo do Cisne Branco fez com que eu pudesse colecionar novas memórias do trabalho como jornalista, fazer novos amigos e conhecer novos lugares. Tudo isso com um bloquinho e uma caneta na mão. Tem profissão melhor do que essa? Quem sabe nos encontramos em uma próxima aventura por aí, te vejo lá!

Acompanhe
nossas
redes sociais