Cidade mais competitiva da região não consegue construir uma parada de ônibus

Opinião

Fernando Weiss

Fernando Weiss

Diretor de Mercado e Estratégia do Grupo A Hora

Coluna aborda política e cotidiano sob um olhar crítico e abrangente

Cidade mais competitiva da região não consegue construir uma parada de ônibus

Por

Atualizado sábado,
17 de Setembro de 2022 às 07:39

Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

É impressionante. Faz um ano, usuários do transporte público de Lajeado se amontoam embaixo das marquises dos prédios e se espalham pela calçada da Avenida Benjamin Constant, no centro de Lajeado. Faça chuva ou faça sol, ficam ao relento no aguardo dos ônibus. Além de ser um desrespeito com o cidadão, é um desestímulo para quem usa o transporte coletivo.

De que adianta um título de cidade mais competitiva da região, nona no estado e 24ª no país, se situações elementares, básicas como essas, não se resolvem. Reitero: faz um ano que o governo de Lajeado não resolve o problema de uma parada de ônibus. O cidadão e a comunidade lajeadense não se alimentam nem desenvolvem com títulos e prêmios. Mais do que discurso, é preciso prática.

Não queremos aqui, desfazer os méritos do município em ser reconhecido nacionalmente pela sua qualidade de vida, pelos seus índices de desenvolvimento, etc. O fato é que Lajeado é o que é pelo seu ímpeto empreendedor, pela força econômica que alimenta os cofres municipais e sustenta o desenvolvimento da cidade. Portanto, está na hora do governo municipal parar de varrer os problemas para debaixo do tapete e resolver as coisas.

A parada de ônibus – ou melhor, a não parada – é só um exemplo de situações que vem sendo negligenciadas tempo demais. Não há explicação ou justificativa razoável para não conseguir resolver um problema desses em 360 dias. Imagina isso acontecer na iniciativa privada? Seria tolerado? Claro que não.

A morosidade para a liberação e andamento dos projetos da área da Construção Civil continua a tirar o sono de muito empreendedor. Não é um nem dois incomodados com a demora do município em analisar, devolver e aprovar os projetos apresentados. Afinal, o que está faltando para resolver esta questão? Entra ano e sai ano e as queixas são as mesmas.

Empreendedores citam exemplos de prefeituras da volta – com menos estrutura e menos orçamento – e que conseguem ser bem mais céleres no encaminhamento. Assim como já escrevemos tantas vezes sobre os acertos do atual governo de Lajeado, não podemos nos omitir de apontar o que precisa evoluir. Um governo não existe para ganhar prêmios ou títulos, ele existe para atender as demandas da sociedade, ser indutor do desenvolvimento e aplicar bem o dinheiro que o contribuinte paga para sustentar a máquina pública. Em Lajeado, tem muito “i” sem o pingo.

Imagem que fala por si. Não vou entrar no mérito das razões que impedem a solução deste problema. Um ano é tempo demais para não resolver. É um desrespeito. Crédito: Felipe Neitzke


Parabéns à região

É um grande barato acompanhar e perceber a integração da comunidade nos acampamentos farroupilhas do Vale. A chama do tradicionalismo se reacendeu com muita intensidade. Parabéns aos municípios pelo estímulo à cultura, pela programação e por proporcionarem aos cidadãos, momentos de confraternização e de festa como estamos vivendo nestes últimos dias.


De olho no voto

As eleições estão cada vez mais perto. Convoco o eleitor regional a continuar esperto quanto aos paraquedistas que buscam nosso voto. O Vale do Taquari precisa sair melhor representado deste pleito eleitoral. Precisamos, e muito, eleger deputados que tenham relação umbilical com a nossa região. A oportunidade de fazermos isso é dia 2 de outubro. Tem muita gente sendo paga para pedir voto por aí para os candidatos que não têm relação com nossa região. É bom abrirmos o olho para não chorarmos na noite do dia 2.

Acompanhe
nossas
redes sociais