MP avança contra a EGR

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

MP avança contra a EGR

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O Ministério Público da Comarca de Lajeado também entrou na briga por melhores condições de trafegabilidade e segurança nas estradas pedagiadas pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). Na semana passada, o promotor de justiça Sérgio Diefenbach instaurou um Procedimento Administrativo de acompanhamento de Políticas Públicas. E o objeto da investigação observa para as más condições de uso e a falta de manutenção na RSC-453, entre o trecho lajeadense e a cidade de Venâncio Aires.

A investigação iniciou após denúncia encaminhada por um usuário da rodovia. No texto, o denunciante cita que “o pavimento tem um grau de deterioração tão elevado que obriga os motoristas a invadirem a pista contrária para desviarem das imperfeições na pista de rolamento”. A queixa também se estende ao acostamento. “Está intransitável devido às escavações feitas pela empreiteira responsável pela manutenção”. Por fim, o reclamante faz um desabafo. “Tenho minha integridade física e, porque não, a minha vida ameaçada”, cita.

Uma notificação foi encaminhada na segunda-feira à direção da EGR, com a finalidade de informar os respectivos diretores sobre uma audiência marcada para o dia 30 de junho, na sede do MP em Lajeado. Os responsáveis terão que prestar esclarecimentos sobre a denúncia encaminhada pelo motorista, repetindo uma ação semelhante e já realizada pelo MP de Venâncio Aires, e que acarretou em agilidade nas obras de manutenção naquela localidade. Desde já, torcemos pelo mesmo e pacífico desfecho no trecho do Vale do Taquari.


Ranzi X PSDB?

Para o próximo ano, um acordo entre bancadas projeta a presidência da Câmara de Lajeado para um representante do PSDB. Entretanto, o dito acordo não compreende todos os representantes e representados.

Dito isso, o MDB deve lançar novamente um candidato próprio para concorrer ao posto de chefe do Legislativo municipal, assim como já fez no atual exercício. E o escolhido deve ser o vereador Carlos Ranzi.


Cara no fogo?

A prisão do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, acusado de corrupção, estremeceu algumas bases bolsonaristas. O presidente não está envolvido nas denúncias. Mas, uma contundente e confiante frase dita por ele durante uma live, no início do ano, foi relembrada com fervor pela oposição. Jair Bolsonaro afirmou, em meio às denúncias contra o então colega, que colocaria a “cara no fogo” por ele. “Toda a cara”, reforçou.

Agora, e após a operação da Polícia Federal (PF) que pode culminar no cárcere temporário do ex-servidor da União, Bolsonaro mudou drasticamente o tom. “É um sinal que eu não interfiro na PF”, disse, em entrevista à Rádio Itatiaia, reforçando que não pode responder pelo eventual crime cometido por terceiros. Faz sentido. Mas, é uma desculpa que muitas vezes não foi aceita em um passado nem tão distante.


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsAppInstagram / Facebook