A romaria e o PT

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

A romaria e o PT

Por

Vale do Taquari

O município de Ilópolis sediou, nessa terça-feira, a 44ª edição da Romaria da Terra do Rio Grande do Sul. O tema do evento era “Agricultura Familiar e Agroecologia: Sinais de Esperança – Irmãos e Irmãs, cuidemos da Mãe Terra”. As atividades ocorreram no Parque do Ibama, e quem aproveitou para ocupar espaços foi o Partido dos Trabalhadores. Além da presença do presidente da Assembleia Legislativa, Valdecir de Oliveira (PT), também estavam presentes o ex-governador, Olívio Dutra, o deputado estadual, Edegar Pretto, e o deputado federal, Elvino Bohn Gass. O evento foi promovido pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).


Mariela quer deixar o PSDB

Uma das principais protagonistas do PSDB regional, a ex-vereadora Mariela Portz está decidida a deixar o partido nas próximas semanas (assim como o governador do estado, Eduardo Leite). Eleita para o parlamento lajeadense em 2016, com 1,6 mil votos, ela também concorreu ao cargo de deputada estadual, em 2018. Não obteve êxito, mas alcançou a importante marca de 11,7 mil votos em diversas cidades, sendo 6,3 mil só em Lajeado. Ela não pretende ingressar em outra sigla, mas pensa em seguir atuando como Coordenadora de Inovação e Projetos Especiais do Governo de Lajeado.


Abordagem ou agressão?

As imagens fortes de uma abordagem policial na madrugada de segunda-feira, no centro de Anta Gorda, chamaram a atenção da população regional e do comando da Brigada Militar. Um inquérito foi aberto para apurar a conduta dos quatro policiais militares que tentavam imobilizar um homem de 55 anos, que estava desarmado. A cena é forte, reforço. O cidadão não estava totalmente imobilizado e, durante a ação, recebe ao menos três violentos chutes e uma joelhada. Um segundo indivíduo é afastado sob a ameaça de uma arma.

Os policiais foram afastados temporariamente. Uma medida necessária para o inquérito, mas que não evita, por si só, novos problemas. O fato não é isolado e não se restringe à região. Abordagens que descambam para chutes, joelhadas e pontapés não ocorrem de forma tão esporádica assim. Poucas são registradas, é bem verdade, mas os excessos cometidos por uma pequena parcela dos agentes da segurança pública fazem parte da nossa história e é histórica, também, a incapacidade de uma ala da sociedade para absorver essa crítica.


“Só o chefe anuncia”

A redação insiste, mas é difícil. E já está virando rotina. O fato é o seguinte. A redação entra em contato com membros do alto escalão do governo de Estrela para buscar informações exclusivas, e a resposta é sempre a mesma: isso é com o “chefe”. O “chefe”, no caso, é o prefeito Elmar Schneider (PTB), cuja gestão municipal tem se mostrado excessivamente centralizadora. A estratégia do governo municipal é livre, claro, mas a recorrência desses fatos tem atrapalhado a divulgação de informações para a sociedade.

Acompanhe
nossas
redes sociais