A esperança de portas abertas…

Opinião

Jonas Ruckert

Jonas Ruckert

Diretor do Colégio Teutônia

Assuntos e temas do cotidiano

A esperança de portas abertas…

Por

Atualizado segunda-feira,
11 de Fevereiro de 2022 às 15:59

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A temática que me cabe na coluna deste mês não poderia ser outra que não o entusiasmo em saber que as escolas estão de portas abertas! Em alguns dos estados do Brasil, redes já retomaram as atividades letivas presenciais de 2022. Ainda que em Pandemia e com tudo que se faz necessário para um retorno seguro, há de se comemorar a escola de portas abertas.

Sabedores de que, aos contextos dos educandos, a família, a escola e o elemento sala de aula são fundamentais para o exercício de todas as narrativas pedagógicas que buscam contribuir nas práticas a ela relacionadas, estamos diante de uma condição urgente: diálogos propositivos entre a tradição e a necessária inovação. Afinal, na centralidade está o desenvolvimento cognitivo, dos saberes e das práticas. Estes se desdobram em vivências sociais e interações coletivas que oportunizam à sociedade sujeitos autônomos, críticos e capazes de exercitar a liderança. Tudo que já sabemos, ouvimos e que vale a pena ser repetido, dada a importância da temática.

O que encontramos em cada ambiente escolar, não diferente neste início letivo de 2022 são, certamente, circunstâncias desafiadoras. Há, não bastasse tudo que está posto, um generoso nível de complexidade onde nem ao menos a estrutura ajuda. Na educação, boa vontade e proatividade são fundamentais, mas não bastam.

Outrossim, faço referência à ideia contextualizada pelo Dr. Martin Dreher, teólogo e historiador, ao trazer à luz das reflexões a afirmativa, a partir de Lutero, sobre o princípio básico da aceitação. Se somos aceitos por Deus da forma como somos, no contexto educacional nos cabe acolher as situações, todas elas, de maior ou menor relevância, com maior ou menor complexidade, entendendo o espaço escolar como aquele acima já descrito: promotor, oportunizador, transformador. Dreher afirma: mais importante que disciplina é aceitação. E estou certo de que assim o é: não se estabelece relação de respeito onde não se é aceito.

A esperança está de portas abertas é a forte afirmativa que faço em defesa de um justificado movimento de engajamento entre escolas e seus profissionais e sociedade.

Tudo passa pela educação. Por trás de cada indivíduo bem-sucedido, de cada líder, de cada cidadão do bem, houve um espaço escolar, uma sala de aula, um professor e, é claro, um núcleo familiar. Escolas de portas abertas são um flanco de esperança para nossas cidades. São condição presente para o hoje.  Engana-se quem não pensa assim. Mãos à obra! O ano letivo está começando!


Acompanhe nossas redes sociais: Instagram / Facebook.