Aprender, uma atividade para a vida inteira

Opinião

Albano Mayer

Albano Mayer

Consultor executivo e articulador do Pro_Move Lajeado

Assuntos e temas do cotidiano

Aprender, uma atividade para a vida inteira

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

As pessoas que me conhecem sabem que sou curioso e inquieto, duas características que me fizeram entender desde cedo que eu nunca deveria parar de estudar e aprender. Hoje, no mundo empresarial, temos um termo que representa esta realidade, o LLL – Lifelong Learning, ou, em uma tradução livre, aprendizado para a vida inteira.

Segundo o autor Christopher Knapper, o LLL representa um movimento de transformação no ensino, defendendo que a aprendizagem não pode ser simplesmente representada por um momento pontual e formal, este se constrói ao longo de toda a nossa vida.

Aqui temos mais um dilema na gestão: até onde vai nossa responsabilidade como empreendedores? Temos dificuldade de contratar pessoas com todas as competências necessárias para a realização das suas atividades, por um motivo relativamente simples: as competências empresariais evoluem diariamente.

Para resolvermos isso, precisamos pensar de forma estratégica, trazer a LLL para a perspectiva da nossa organização, mapear as competências essenciais e prioritárias do nosso negócio, como elas vão evoluir e como faço a gestão deste aprendizado organizacional.

Muitas empresas, em seus diversos tamanhos e segmentos, aplicam o modelo de universidade corporativa, usando demandas oriundas de matrizes de competência, planos de desenvolvimento individual, cargos e carreira ou mesmo avaliação de desempenho para atender as necessidades de formação. O equívoco é que nem sempre a organização tem clareza na gestão do seu capital intelectual, priorizando as capacitações em áreas nem sempre estratégicas, prioritárias ou mesmo que garantam a continuidade do negócio.

Não costumo dar receitas, mas, nesse artigo, devo deixar algumas recomendações.

O LLL é um modelo que deve servir vivenciado por todos os profissionais. É uma necessidade que devemos mapear no processo seletivo, trazendo questionamentos que respondam se o novo funcionário estará disposto a continuar aprendendo e evoluindo. Para o colaborador que já faz parte da equipe, é na avaliação de desempenho que vamos mapear a sua disposição ao LLL, negociando seu envolvimento, envolvimento em novos projetos, conhecimentos e desafios.

Já na empresa é fundamental estudarmos, além do modelo do negócio estabelecido, atuar nas necessidades presentes e futuras, e com isso desenvolver uma matriz de conhecimento que sustente o ciclo de aprendizado organizacional, nos preparando para manter ou ampliar a nossa atuação no mercado. Este exercício, que faz parte da estratégia empresarial, muitas vezes é conhecido como a gestão do capital intelectual.

Lembre-se: o conhecimento é uma ponte que nos conecta com o futuro.

Acompanhe
nossas
redes sociais