Cristo do desenvolvimento

opinião

Edson Brum

Edson Brum

Único deputado estadual do Vale do Taquari

Assuntos do cotidiano e política

Cristo do desenvolvimento

Por

Encantado
BRDE - Lateral vertical - Final vertical

Nas últimas semanas, vimos o projeto do Cristo Protetor ganhar destaque na imprensa nacional e internacional. Jornais, rádios, sites e televisões de países do mundo inteiro repercutiram a obra antes mesmo de ser concluída no Morro das Antenas, em Encantado. Certamente, uma repercussão que surpreenderia até o grande idealizador da iniciativa, o ex-prefeito e saudoso amigo Adroaldo Conzatti.

O Conzatti sempre foi um visionário. Lembro do entusiasmo dele ao nos contar sobre a proposta, há quase três anos. Ele sabia que a obra se tornaria um marco na história não apenas do município, mas de todo o Vale do Taquari. Assim como a comunidade, que percebeu a oportunidade que surgia e abraçou com ele o projeto, criando a Associação do Cristo, responsável por angariar recursos para a construção sem usar um centavo sequer de dinheiro público.

O Cristo de muitas mãos trará desenvolvimento, por meio da geração de emprego e renda, e novos horizontes para a região. É o início de uma nova era, que requer mais investimentos para que o Vale do Taquari seja consolidado como polo turístico.
Temos que integrar a nova atração, por exemplo, ao passeio de trem Muçum-Guaporé, à Rota do Pão e Vinho e ao aeroporto de Caxias do Sul. Além disso, inspirados no Cristo, novas estátuas gigantes devem surgir em municípios nas proximidades, como a da Santa Clara, em Santa Clara do Sul, e a de Nossa Senhora de Lourdes, em Anta Gorda, originando um novo roteiro turístico.

As mudanças que chegam com o Cristo seguirão exigindo colaboração. Por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, temos nos colocado como parceiros do município para que seja disponibilizada uma estrutura que proporcione segurança e conforto às centenas de turistas que já visitam o local.

Aliado a isso, precisamos dar atenção ao setor privado. Durante a interiorização da Sedec em Encantado, apresentamos os programas oferecidos pelas agências de fomento que são de nossa responsabilidade que permitem aos empreendedores ter acesso a linhas de crédito, afinal, novos negócios ou a ampliação dos atuais irão surgir com a expansão do turismo no Vale.

São questões que demonstram que a grandiosidade da obra de Encantado não está apenas em seu tamanho físico, ao se tornar a maior estátua de Cristo do Brasil, mas por todos os benefícios decorrentes dela. Em um momento em que buscamos a retomada da economia, a iniciativa é um exemplo que merece ser exaltado, apoiado e, se possível, seguido.