Foquemos na solução

opinião

Edson Brum

Edson Brum

Único deputado estadual do Vale do Taquari

Assuntos do cotidiano e política

Foquemos na solução

Por

Estado
Imec - Lateral vertical - Final vertical

Tenho acompanhado e participado de discussões que abordam a situação que vivenciamos no Brasil devido à pandemia. Diante de tudo o que tem sido proferido, o que chama a atenção é a insistência de alguns em encontrar culpados quando, na verdade, o foco deveria estar na busca em conjunto por soluções.

A própria história nos mostra que, somente com a união de forças, a humanidade foi capaz de vencer situações semelhantes. Na década de 1970, por exemplo, o mundo enfrentou o vírus da varíola. A vacinação foi o principal elemento da vitória, mas o êxito também foi resultado de uma colaboração internacional.

Felizmente, temos celebrado o sucesso de ações públicas e privadas no Brasil que demonstram que há convergência em meio às dificuldades. Foi o caso do repasse de R$ 90 milhões aos hospitais para o combate à pandemia, onde R$ 70 milhões foram provenientes da articulação entre a Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Ministério Público, Defensoria Pública e Tribunal de Contas; e R$ 20 milhões oriundos do governo do Estado.

O Parlamento gaúcho já havia repassado antes R$ 5 milhões para auxiliar 55 pronto-atendimentos municipais que atendem exclusivamente casos de covid-19, em seguida o governo autorizou mais R$ 2,8 milhões para mais 31 PA’s. Outro exemplo foi a união entre Congresso e governo federal para garantir que o auxílio emergencial fosse mantido em 2021. O benefício oferece parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.

No RS, o governo criou o auxílio emergencial gaúcho, que beneficiará 19.036 empresas do simples, 51.697 microempreendedores individuais, e 17.524 trabalhadores desempregados dos setores de gastronomia e hotelaria, além de 8.161 mulheres chefes de família. Com o novo aporte de R$ 7 milhões da Assembleia Legislativa, o setor de eventos também foi incluído, e a criação do auxílio foi aprovada com celeridade. Houve ainda o adiamento de datas de vencimento do ICMS, bem como apoio a créditos via bancos e agências de fomento.

Muitas prefeituras também têm desenvolvido medidas que complementam as ações estaduais e federais. Dentre elas, a postergação dos prazos do ISS e do IPTU e a criação de auxílio emergencial municipal. Empresas, entidades sociais, executivos e cidadãos têm protagonizado iniciativas que vão desde a doação de equipamentos, insumos e medicamentos à construção de hospitais.
São exemplos que comprovam que a solução é deixar de lado as diferenças, parar de apontar o dedo e focar os esforços nas necessidades da sociedade.