Sartori inaugura obras e repete  discursos

Vale do Taquari

Sartori inaugura obras e repete discursos

Governador participou de almoço com empresários e depois da entrega do Centro de Saúde Materno-Infantil em Estrela e da quadra do colégio Guararapes, em Arroio do Meio.

Por

Sartori inaugura obras e repete  discursos
Vale do Taquari

Em um dia marcado por manifestações contrárias às reformas em votação no Congresso, o governador José Ivo Sartori esteve na região para palestrar aos empresários e participar de inaugurações.

Os dois primeiros compromissos ocorreram em Estrela. Ele chegou à cidade por volta das 12h30min, acompanhado de deputados, secretários e do ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, para participar de reunião-almoço promovida pela Cacis no Estrela Palace Hotel.

Em frente ao local, estudantes da escola Martin Luther protestaram com faixas e gritos contra a Reforma da Previdência. Na palestra, Sartori repetiu os discursos realizados durante as últimas visitas à região. Reforçou a fala sobre as dificuldades financeiras enfrentadas pelo Estado e a necessidade de adotar medidas para conter o déficit fiscal.

“Essa crise é maior do que a de 1929 e 1930, e temos que enfrentá-la”, justificou. Ressaltou o acordo de resultados firmado com todos os órgãos do Piratini e enalteceu o plano de modernização que reduziu a estrutura do Estado.

Sartori ainda defendeu o governo federal, dizendo que a administração Michel Temer escuta mais os estados e municípios na comparação com as anteriores.

Junto com a secretária de Meio Ambiente, Ana Pellini, o governador falou sobre as medidas para agilizar as licenças da Fepam. Segundo a secretária, a retirada de burocracias permitiu que a média de demora para emissão de licenciamento ambiental caísse para 11 dias.

Por fim, Sartori abordou as potencialidades de crescimento do RS, enaltecendo a existência de oito parques tecnológicos, a referência na produção e exportação de calçados, a força do agronegócios e a força da indústria, do comércio e do setor de serviços.

Governador discursou sobre a importância de engajar os jovens nas questões políticas e sociais

Governador discursou sobre a importância de engajar os jovens nas questões políticas e sociais

Centro de Saúde

Após o almoço, o governador participou da inauguração oficial do Centro de Saúde Materno- Infantil de Estrela. Em operação desde fevereiro, o complexo é fruto de parceria entre a administração municipal e a Univates.

Reitor da universidade, Ney Lazzari ressaltou o investimento em benefícios das gerações vindouras. “Este é mais um fruto de longas parcerias que nós, como instituição de ensino que preza o bem do ser humano, o desenvolvimento da educação, apostamos.”

Prefeito de Estrela, Rafael Mallmann falou sobre a busca para tornar o centro de saúde um local de referência no atendimento às gestantes e crianças de até 2 anos. “Ainda terão aqui ao lado o hospital com os seus demais essenciais serviços.”

Em seguida, o governador saudou o esforço das pessoas que trabalharam para concretizar a obra. “Isso aqui vai mudar o perfil de atendimento e prevenção nessa específica área de saúde”, disse, antes do descerramento da fita.

Inauguração em Arroio do Meio

Sartori participou do ato junto com o secretário estadual de Educação, Luís Antonio Freitas, deputado estadual Edson Brum, além de outras autoridades.

De acordo com a coordenadora da 3ª CRE, Greyce Weschenfelder, trata-se de um momento histórico. “A comunidade espera por essa obra há muito tempo e no meio de tanta dificuldade ter uma obra que vai beneficiar toda comunidade é muito emocionante.”

Para a diretora da escola Silvana Hanke, foi o resultado de um trabalho em conjunto. “Passou por tantos gestores que de igual forma lutaram para que fosse consolidada. Isso nos dá esperança para uma educação de qualidade e humana.”

Estudantes do 3o ano acompanhavam a solenidade no fundo da quadra. Para a aluna Vanessa Schulz, a construção vai melhorar as aulas de Educação Física. “Antes a gente fazia na outra quadra e, quando chovia, se molhava, era bem ruim.”

Para Luana da Silva, quando estavam ocorrendo as obras, havia bastante barulho, o que atrapalhava as aulas. “Foi um alívio a conclusão”, afirma.

Durante o pronunciamento, Sartori citou exemplos de quando foi presidente de grêmios estudantis e DCE. “A primeira vez eu tinha 13 anos e lembro bem. Também tive experiência como presidente do DCE de Caxias de Sul. Isso me deu consciência social.”

Para o governador, é preciso debater nas escolas questões políticas e sociais, de forma a incentivar o engajamento nos estudantes.

Para o secretário Freitas, a obra foi possível graças aos esforços do governo, mas principalmente ao financiamento do FNDE. “Estamos com mais de 400 obras em escolas no Estado para melhorar e qualificar os espaços físicos. Esse é o nosso desafio. Temos um financiamento com juro muito baixo que nos permite isso.”

Visita do governador começou com palestra na Cacis voltado aos empresários

Visita do governador começou com palestra na Cacis voltado aos empresários

Com a palavra o governador

Em meio aos compromissos, o chefe do Piratini concedeu entrevista. Para Sartori, as medidas amargas para ajustar as finanças do RS, sobre a crise na segurança e formas de melhor aproveitar o porto de Estrela.

A Hora – O aumento da tributação do ICMS não teve como reflexo o aumento da arrecadação. Não seria o momento de diminuir o imposto para estimular a recuperação econômica do Estado?

José Ivo Sartori – Quem ganhou foram os municípios, porque tiveram uma boa participação. Não que o Estado não tenha recolhido. É uma decisão amarga, dura e difícil e foi a primeira vez que eu vi estarem servidores públicos e empresários juntos por uma mesma causa, contrários à elevação. Nós não somos a favor da guerra fiscal, mas apenas equiparamos ao que os outros estados já fazem.

Como avalia as críticas e protestos contrários aos pacotes de austeridade propostos pelo governo?

Sartori – Quem estava fazendo protestos? Nós mechemos na estrutura do Estado, evidente que alguém que pertence a alguma fundação ou companhia não vai gostar. Mas, ainda sim, acredito que as manifestações foram raras, de pouco volume, mas compreendo que politicamente alguém tem que fazer alguma coisa e mostrar de que lado está. Eu prefiro estar do lado da mudança e de que o Estado cumpra o papel efetivo de atender as necessidades da sociedade.

Existe previsão para aumento do efetivo da Brigada Militar e da Polícia Civil, diante da defasagem de pessoal dessas forças de segurança?

Sartori – Sempre vai existir, mas à Brigada Militar, Polícia Civil e Susepe foi dado aumento em 2014. Quem está pagando somos nós. Um reajuste que chega a 31% para essas categorias de segurança. Nós temos que ter maneiras e formas de trabalhar como estamos fazendo. Se formos analisar, as condições têm melhorado bastante. Tivemos apoio do Ministério da Justiça, da Força Nacional de Segurança, e agora estamos apurando outras atitudes mais positivas ainda.

Quais as possibilidades para o aproveitamento do Porto de Estrela?

Sartori – Temos alguns diálogos com setores interessados em assumir os portos de Estrela e de Rio Pardo. Já temos essa parceria público-privada, assumido pela Celulose Riograndense, sem o Estado participar de nada. Todo o transporte das toras é feito por barca de Pelotas até Guaíba e o resultado também volta por barcas. Isso significa retirar caminhões das estradas.

Acompanhe
nossas
redes sociais