Expodireto mostra inovações à lavoura

Estado

Expodireto mostra inovações à lavoura

Evento da Cotrijal começou ontem e se estende até sexta-feira em Não-Me-Toque

Por

Estado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O avanço tecnológico é a garantia de novidades na 17ª Expodireto Cotrijal, que iniciou ontem e se estende até sexta-feira, em Não-Me-Toque. A feira, realizada desde 2000 pela Cotrijal, tem mais de 530 expositores das áreas de máquinas e implementos agrícolas, produção vegetal e animal, serviços e pesquisa, apresentando lançamentos para todos os tamanhos de propriedades.

Em 2015, o evento movimentou R$ 2,18 bilhões e recebeu 230 mil visitantes. Apesar da crise financeira, a expectativa de uma boa safra e do aumento do preço dos grãos são a aposta para estimular o produtor a investir em máquinas e inovações. Mesmo com os juros maiores e a oferta de crédito menor, o presidente da Expodireto-Cotrijal, Nei Mânica, está otimista. “O bom rendimento da soja e do milho deixa o agricultor capitalizado e disposto a comprar.”

Segundo ele, a exposição chega renovada e em busca de soluções para o produtor. Destaca a importância do uso de novas tecnologias somada à assistência técnica, para atingir recordes seguidos nas lavouras atendidas pela cooperativa. “Na soja, em 15 anos, tivemos um crescimento de produtividade de 40% em relação ao estado. Nossa média chegou a 66,7 sacas/hectare, enquanto que no RS foi de 48,5 sacas.”

Além dos visitantes brasileiros, mais de 70 países devem prestigiar a feira. Argélia e Moçambique estarão entre os países estreantes. A participação de importadores e representantes comerciais estrangeiros rendeu bons negócios em 2015. A movimentação internacional chegou a R$ 237.514 milhões.

Novidades para todos

A Expodireto Cotrijal é reconhecida como uma feira que traz inovações, tecnologias, conhecimento e oportunidades de negócios para todos os tipos de propriedade.

Neste ano, na produção vegetal, são cerca de 50 lotes dos canteiros experimentais e inovações nas áreas de sementes, defensivos e fertilizantes que abrigam também os setores de pesquisas do agronegócio. Instituições como a Embrapa, Fundacep, Fundação Pró-Sementes, Coodetec, Fepagro e universidades (Ulbra, UPF, UFSM, Unicruz) expõem trabalhos.

Na produção animal, são 64 expositores de nutrição e genética e exposição de equipamentos com alta inovação tecnológica, entre área interna e externa, além da exposição de animais.

No Espaço da Família Rural, o Pavilhão da Agricultura Familiar tem 43 expositores a mais do que no ano passado. O Recanto Temático foi reativado e mostra o trabalho de 60 anos da Emater/RS-Ascar.

No Espaço da Natureza Cotrijal, o foco será a reciclagem, com trabalhos mostrando como reaproveitar materiais que normalmente vão para o lixo e também os artefatos produzidos com as embalagens vazias de agrotóxicos retornáveis. A feira conta também com os tradicionais fóruns de debate. As novidades neste ano são o Fórum Estadual de Conservação do Solo e da Água, hoje à tarde, 8, e o Fórum da Cultura do Trigo, amanhã à tarde, 9.

Acompanhe
nossas
redes sociais