Dívidas acumuladas fazem hospital readequar os serviços

Estrela

Dívidas acumuladas fazem hospital readequar os serviços

Gestores reclamam do atraso nos repasses de verbas estaduais

Por

Dívidas acumuladas fazem hospital readequar os serviços
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Um prejuízo operacional de R$ 686 mil em janeiro deste ano agravou ainda mais a situação econômica do Hospital Estrela. Ele se soma a um déficit de R$ 6,8 milhões registrados em 2015. Entre os motivos para a dificuldades econômica, estão repasses pendentes do Estado, além de pagamento de equipe, fornecedores e processos. Ainda no ano passado, um empréstimo de R$ 3,2 milhões foi feito com a promessa de ser pago pelo Estado. O valor também está pendente.
A situação do hospital é considerada crítica pela vice-diretora, Adriana Siqueira. Nele são cerca de 430 internações e três mil atendimentos em serviços de pronto-socorro mensais. Ao todo, são mais de 360 funcionários, além de médicos e serviços terceirizados. Indicados como principais responsáveis pela dificuldade, os repasses do Estado estão pendentes nos nos primeiros meses do ano. No acumulado, desde lá são mais de R$ 790 mil.
Com o panorama, afirma ter buscado apoio em encontros com entidades representativas e órgãos públicos. Ela descarta a possibilidade de corte de serviços, mas indica a necessidade de adaptação à realidade enfrentada. Entre os serviços com maior déficit, estão a urgência e emergência, obstetrícia e as UTIs. “O atendimento com segurança e qualidade terá que ser mantido, mas com recursos escassos. O momento é crítico e necessita do envolvimento de todos.”
Para adaptar à realidade, afirma, desde o ano passado a equipe vem sendo reduzida. Foram feitas demissões e as contratações estão sendo evitadas. A direção tenta renegociar dívidas e prazos e faz reuniões internas na busca de alternativas. Entre elas, programas de participação popular tem sido fundamentais para a gestão econômica. “São ações pequenas, mas queremos intensificar isso com as pessoas e viabilizar recursos para manutenção dos serviços.”

Acompanhe
nossas
redes sociais