Tora de eucalipto atinge e mata agricultor

Roca Sales

Tora de eucalipto atinge e mata agricultor

Ricardo Werner cortava lenha na manhã de ontem

Por

Tora de eucalipto atinge e mata agricultor

O acidente que vitimou o agricultor Ricardo Werner, 61, levanta a discussão sobre segurança no trabalho. Werner foi atingido por uma árvore quando cortava eucaliptos na localidade de Linha Parobé.

De acordo com a Polícia Civil, a vítima trabalhava com uma motoserra no momento do acidente. Ele teria terminado de cortar o tronco e, no momento da queda, a árvore teria batido em outras e se voltado contra o trabalhador, que morreu na hora. O agricultor estava acompanhado do irmão.

A polícia ainda não sabe se Werner morreu devido ao impacto da tora ou se bateu a cabeça ao cair. O corpo da vítima apresentava um machucado na altura da sobrancelha e foi enviado para necropsia no DML de Lajeado. Especialista em segurança do trabalho, Luiz Carlos Bianchini lembra que esse tipo de acidente é comum na atividade e pode acontecer por negligência ou mero acaso.

Segundo ele, todos os trabalhadores que lidam com ferramentas devem seguir os procedimentos indicados nos manuais fornecidos pelos fabricantes. “Todos os produtos têm guias que mostram os perigos e os cuidados necessários, mas quase ninguém lê”, afirma.

ConformeBianchini, acidentes com cortes de árvores geralmente acontecem quando a vítima está posicionada em local inadequado. “É um procedimento com grande potencial para acidentes. O risco precisa ser calculado”, alerta. Além de se posicionar de forma adequada, o trabalhador deve retirar os galhos e verificar se a árvore está enganchada em outras ou em cipós.

“São coisas que podem interferir na direção da queda”, relata. Conforme Bianchini, a depender do tipo de queda, equipamentos de proteção como capacete, óculos e luvas são insuficientes para evitar fatalidades.

Mesmo assim, ressalta a importância dos materiais. Lembra de um caso envolvendo trabalhador que foi atingido por um galho na cabeça e se salvou graças ao EPI. “O impacto da queda chegou a rachar o capacete, mas evitou consequências mais sérias.”

Conforme o especialista, todos os trabalhadores devem ter consciência sobre a importância da precaução, principalmente ao lidar com ferramentas como motoserras, roçadeiras ou facões. Segundo ele, o excesso de confiança é um fator comum em acidentes. Cita como exemplo os casos de afogamento, que geralmente acontecem quando o banhista ignora os riscos da atividade.

Acompanhe
nossas
redes sociais