Vandalismo atormenta poder público

Estrela

Vandalismo atormenta poder público

Casos ocorrem desde metade do ano passado. Instalação de câmeras é cogitada

Por

Vandalismo atormenta poder público

Atos de vandalismo chamam atenção. Em uma semana, pelo menos, três pontos da cidade sofreram depredações. Adolescentes foram identificados como autores. Nas redes sociais, moradores pedem a instalação de câmeras de monitoramento e a media é cogitada pelo poder público.

O caso mais recente aconteceu na madrugada da sexta-feira passada, no bairro das Indústrias. Nele, três jovens, com idades entre 14 e 15 anos, foram flagrados enquanto colocavam fogo em uma lixeira próxima a um mercado local. Eles também haviam incendiado banners e cartazes, na frente do comércio.

Ambos foram aprendidos pela Brigada Militar. Os jovens são moradores dos bairros Oriental e Marmitt. Com eles, foram encontrados um isqueiro e um celular com gravações do local. Depois de registro na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Lajeado, foram liberados.
Há poucos dias, um banco da escadaria foi quebrado. Antes, há dois meses, pichações foram constatas em parte da escadaria.

Além dos casos, vândalos haviam quebrado brinquedos nas proximidades. Já no fim de semana, uma pedra foi usada para matar uma tartaruga da praça do município. A série vem sendo constatada desde que dois jovens foram identificados após investigações sobre a pichação da delegacia. Eles apareciam nas filmagens de câmeras próximas ao prédio.

Aposta no monitoramento

Na avaliação do secretário de Cultura e Turismo, Rudimar Hagemann, as atitudes têm impacto direto na atração de visitantes à cidade. Segundo ele, a escadaria costuma ser procurada durante os passeios pelos roteiros turísticos da região pelo seu valor histórico.

Para reduzir a incidência de novos casos, afirma, aprofundar o debate para o monitoramento eletrônico do espaço. De acordo com Hagemann, as atitudes preocupam e precisam de um acompanhamento das famílias para uma solução mais efetiva.

Assim como ele, o comandante do 40º Batalhão de Polícia Militar, Marcelo de Abreu Fernandes, ressalta a importância de uma atenção familiar sobre a rotina dos adolescentes. Segundo Fernandes, além do risco causado por algumas das atitudes, o vandalismo causa prejuízos e exige trabalho de equipes do policiamento. No caso dessa madrugada, do incêndio em uma lixeira, dois policiais e uma viatura foram necessários para encaminhar os jovens até a DPPA.

Acompanhe
nossas
redes sociais