Oficinas aliam aprendizado à integração

Encantado

Oficinas aliam aprendizado à integração

Fabricação caseira de ovos de chocolate reduz gastos e pode virar fonte de renda

Por

Oficinas aliam aprendizado à integração
Encantado

O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) abriu inscrições para o curso de Produção Caseira de Ovos de Chocolate. A atividade é para mulheres inscritas no Bolsa Família.

Há 72 vagas disponíveis, divididas em seis turmas. As aulas com duração de duas horas ocorrem nos dias 29 de fevereiro, 7 e 14 de março. A participação deve ser confirmada até o primeiro dia de atividades.

Chocolates, moldes, outros equipamentos e insumos serão disponibilizados por meio do convênio com o governo federal. De acordo com a coordenadora do Cras, Valéria de Castro Caldas, além de incentivar a geração de renda, o objetivo é proporcionar integração entre as famílias.

Para ela, a criação de grupos de convivência ajuda a incentivar o fortalecimento dos laços entre moradores de comunidades. A proposição de fontes de renda, destaca, cujo investimento inicial pode ser pequeno, gera uma acréscimo na renda e melhora a autoestima. “É com esse tipo de evento que se evidencia a importância do Programa de Atenção Integral à Família”, pondera.

Da dificuldade à independência

De acordo com o confeiteiro, Élcio José Dutra, responsável por ministrar as aulas, o curso é focado em técnicas de temperagem do chocolate, além da confecção de ovos comuns, recheados e pirulitos.

Também haverá tópicos referentes ao reaproveitamento de materiais para a confecção de embalagens de baixo custo.

Segundo Dutra, ovos de marcas famosas, de 180g, custam em média R$ 20. Em contraponto, com uma barra de chocolate de boa qualidade, de um quilo, que custa até R$ 25, é possível preparar até sete ovos. “Além de economizar é possível fazer doces personalizados”, comenta.

Fazer os doces em casa também pode proporcionar bons momentos com a família. “É legal juntar os filhos na cozinha para ajudar a derreter, colocar na forma, empacotar e depois enfeitar as cestas”, avalia.

Há 15 anos, em decorrência de uma crise financeira, Dutra começou a fazer guloseimas artesanais.

No começo, fazia trufas recheadas e vendia de casa em casa. Depois, passou a receber encomendas e aprender novas técnicas.

Hoje tem uma empresa legalizada e fornece doces para formaturas, aniversários e casamentos. “Se posso ajudar os outros, vou continuar ensinando aquilo que me ajudou a superar uma dificuldade”, conclui.

Acompanhe
nossas
redes sociais