Ladrões levam 1,4 veículo por dia na região

Você

Ladrões levam 1,4 veículo por dia na região

Número de roubos e furtos chega a 126 casos nos primeiros três meses deste ano

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Vale do Taquari – Em 90 dias, foram furtados ou roubados 126 veículos em 19 cidades da região. Uma média de 1,4 por dia. Na maioria dos casos os criminosos buscam carros nacionais e populares. Brigada Militar (BM) alerta para cuidados e reitera a dificuldade de combater esse tipo de crime.

vEm 2013, os números aumentaram 42% em relação ao ano passado, quando 74 veículos foram roubados no mesmo período. Só em Lajeado são 72 casos nos três primeiros meses do ano. Uno, Gol, Santana, Voyage são os mais visados pelos ladrões. A facilidade de vender e trocar as peças desses veículos é uma das razões.

Os importados também são alvo dos criminosos. Na última terça-feira, uma comerciante de Encantado teve o Audi S3 roubado de dentro de casa. Os bandidos entraram pela janela da cozinha. Levaram o carro e eletrodomésticos. “Não temos seguro, meu marido está desesperado. Mas não desistiremos e recebemos algumas pistas.”

Os delitos mais recorrentes são de furtos. Nenhum caso de latrocínio foi registrado nos últimos anos. Em Lajado, local com maior incidência em toda região, foram 59 casos de furto e 13 de roubo no primeiro trimestre. O vendedor Zélio Kunz Júnior teve a moto roubada em janeiro. Ela estava estacionada em frente à residência e foi devolvida um dia depois. “Utilizaram-na para cometer roubos.”

O aumento na incidência do crime em Lajeado preocupa lojistas e comerciantes da área central do município. A insegurança estaria afugentando clientes. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Ricardo Dietrich, afirma que o assunto foi discutido na última assembleia e que um auxílio mensal foi repassado para a Patrulha Comercial da BM. “Daqui a pouco os clientes procurarão outros locais para compra. Mas esse problema não é só de Lajeado.”

Maioria dos carros é recuperado

Em abril deste ano foram registrados 23 furtos e cinco roubos em Lajeado. Desse montante, 19 veículos foram recuperados. Um levantamento feito pelo setor especializado da Polícia Civil mostra que em mais de 67% das vezes os veículos são recuperados. Em alguns casos, os proprietários pagam um valor de “resgate”.

O comandante do 22º Batalhão da BM, Fabiano Dorneles, enaltece o trabalho realizado pela corporação e fala sobre a dificuldade de combater esse tipo de crime.

Dorneles comenta sobre um suspeito com diversos furtos de veículos na ficha criminal, que foi abordado próximo do Colégio Evangélico Alberto Torres em abril. Estava acompanhado de uma criança de colo e não soube precisar o que estava fazendo no local. “Qualquer um pode ser suspeito. É difícil traçar um perfil desses criminosos.”

Entre as soluções citadas pelo comandante está o aumento da fiscalização nas revendas de peças usadas. Segundo ele, a compra e venda desse material estimula os furtos e roubos. A maioria dos veículos é encontrado descaracterizado.

Crime se dispersa pelos bairros de Lajeado

Nas últimas reportagens sobre furtos e roubos de veículos em Lajeado a rua Alberto Torres sempre foi citada como preferencial para a prática do crime. A realidade mudou. Em abril deste ano, dos 28 casos, nenhum foi registrado naquela via. A maioria dos casos ocorreu nos bairros Moinhos, Florestal e Americano. Também foram roubados carros nas avenidas Sete de Setembro, Carlos Spohr Filho e Alberto Muller.

A dispersão do crime preocupa a BM. Inexiste um mapeamento dos principais pontos. Ruas escuras e distantes de moradias são os locais mais visados pelos ladrões. Dorneles orienta para que os proprietários observem onde estacionam e aconselha a utilização de travas e outros equipamentos de segurança.

Acompanhe
nossas
redes sociais