Granizo destrói lavouras e residências

Notícia

Granizo destrói lavouras e residências

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Após perderem cerca de 40% da safra devido à estiagem, produtores tiveram mais danos com o temporal de granizo na quarta-feira à noite.

O município mais afetado foi Fazenda Vilanova, que decretou situação de emergência. O tem­poral durou dez minutos e des­truiu cerca de 200 residências.

fumoOito equipes foram formadas para agilizar a recuperação das casas atingidas. Nesta sexta-feira, a Defesa Civil Estadual enviou 3,5 mil telhas para aju­dar no conserto. O restante será custeado pelo município.

Segundo a secretária do Conse­lho da Defesa Civil, Neiva Borba, o prejuízo estimado ultrapassa R$ 45 mil só com danos verifica­dos nos telhados.

Em Cruzeiro do Sul, Sério e Venâncio Aires, as lavouras de fumo, milho e aipim foram as mais atingidas. Zé Carlos Sehn, de Boa Esperança Baixa, em Cru­zeiro do Sul, perdeu 90% dos 22 mil pés de fumo cultivados nes­ta safra.

Ele havia colhido 75 arrobas e outras 150 permaneciam na la­voura. “O prejuízo chega a R$ 15 mil. O que a seca não prejudicou o granizo destruiu”

Sehn aguarda a visita dos téc­nicos da integradora para fazer a vistoria. Lamenta que o seguro pagará só 10% do estrago.

Fábio Berghahn, de Araguari, em Sério, perdeu 70% da planta­ção de fumo. Só 10% das folhas haviam sido colhidas. “Em 15 minutos vi um trabalho de me­ses sendo destruído. Se pudesse vender a propriedade e ir embo­ra daqui, eu faria.” Os seis hec­tares de milho também foram atingidos. O prejuízo chega a R$ 5 mil.

Em Venâncio Aires, o distrito de Vila Deodoro foi o mais atin­gido. Conforme levantamento da Secretaria da Agricultura, cerca de 300 propriedades registraram estragos.

O secretário Fernando Heissler diz que o fumo teve perdas de 100% em algumas lavouras. “A chuva de granizo durou 30 mi­nutos. É triste ver isso. Em uma ponta do município temos famí­lias sem água e em outra, a tem­pestade devastou toda safra.”

Chuva é insuficiente

As pancadas esparsas de chu­va que ocorreram nas últimas semanas foram insuficientes para recuperar parte das lavou­ras atingidas pela estiagem. Com atuação do fenômeno me­teorológico La Niña, as precipi­tações ocorrem em pontos isola­dos. Enquanto o acumulado de chuva no mês chega a 91 milí­metros em Paverama, na Linha Cabriúva, em Mato Leitão não passa de 18 milímetros.

Conforme o gerente adjunto da Emater Regional de Lajeado, Luiz Bernardi, para amenizar o déficit hídrico seria necessário chover duas vezes por semana.

As perdas chegam a 40% nos 64 municípios atendidos. As lavouras de milho são as mais atingidas. Dos 103 mil hectares cultivados, 87,3 mil registram perdas de 100%.

Devido à má alimentação do gado, na produção de leite a quebra na produtividade chega a 30%, representando uma re­dução de 300 mil litros/dia.

No caso do feijão, a quebra será de seis sacos por hecta­re. Devido à falta de umidade, apenas 40% da área de soja foi semeada. O que foi plantado registra problemas de germina­ção. “Os prejuízos chegam a R$ 75 milhões. Dinheiro que deixa­rá de circular na economia da região.”

Ração mais barata

A Cooperativa Languiru, de Teutônia, está vendendo a ra­ção para gado de leite a um pre­ço especial a fim de amenizar os custos que aumentaram com a falta de pastagens.

O programa vai até 31 de janeiro, sendo válido para os produtores que vendem o leite para a cooperativa.

Os pedidos podem ser encami­ nhados nas seguintes unidades: Agrocenter Insumos (Setor de Forragens) em Teutônia; Agro­center Languiru em Cruzeiro do Sul; Supermercado Languiru em Poço das Antas; ou ainda direto na Fábrica de Rações em Estrela.

O produtor também pode comprar sementes de milho, de forrageiras, fertilizantes, agro­tóxicos e lona plástica e pagar em até oito vezes, descontado da conta do leite.