Incêndios deixam bombeiros em alerta

Notícia

Incêndios deixam bombeiros em alerta

Por

Três incêndios foram registrados ontem. Um na ala cirúrgica do Hos­pital São José, de Arroio do Meio; em uma lavoura de tri­go, no bairro São Bento, em Laje­ado, e o outro foi em uma casa de madeira na rua Tomás Pereira Neto, no bairro Imigrantes, em Estrela. Na última semana, os bombeiros contabilizaram nove ocorrências em todo o Vale.

Moradores de São Bento perce­beram os estalos do fogo perto das 15h20min. A lavoura de tri­go recém-colhido fica próxima à casa de Celeste Herrmann. Ela conta que ligou para os bombei­ros quando percebeu a fumaça.a

A moradora Claudete Sou­to diz que sentiu muito medo. “Nunca tinha visto algo assim.” Em seguida, o marido dela, Pau­lo Souto chegou para ajudar a combater o fogo. Ele conta que os vizinhos pegaram baldes e mangueiras para evitar a pro­pagação das chamas.

No Hospital São José, um curto-circuito no transformador provo­cou o corte de energia durante uma hora e meia. A densa fu­maça tomou os quartos das alas cirúrgicas, que foram evacuadas. Os bombeiros de Lajeado contro­laram o fogo com extintores.

Duas cirurgias eletivas (de me­nor risco) foram desmarcadas. Uma delas, cesariana. O trans­formador do hospital foi ligado por volta das 16h30min, resta­belecendo a energia. Conforme o diretor José Clóvis Soares, os 25 pacientes internados não necessitavam de equipamentos elétricos no momento da falta de luz. O transformador tinha cinco anos de uso. Técnicos e eletricistas ainda não sabem o que causou o curto-circuito.

Os Bombeiros de Lajeado, Es­trela e Encantado atendem 35 municípios no Vale (veja no mapa).

Com a chegada do verão, parte dos bombeiros são deslocados à Ope­ração Golfinho. Nessa temporada, oito militares da região reforçam o salvamento no litoral.

Estrela conta com um efetivo de 20 militares e dois caminhões, um com capacidade de 3 mil e outro de 4 mil litros de água.

Em Lajeado são 24 bombeiros e outros dois caminhões – de 5 mil e 7 mil litros. Para Encantado, são 12 na corporação e um caminhão capaz de armazenar 2.400 litros de água.

Com relação à carência, o tenente Hampel destaca que as corporações se auxiliam em casos de emergên­cia. Segundo ele, os bombeiros vo­luntários ajudam no controle e na prevenção de incêndios.

Incêndios

Nos últimos 12 meses, foram registrados 50 incêndios nos 14 municípios atendidos pelos bombeiros de Lajeado. Desses, 22 em galpões, residências ou indústrias. Os 28 restantes aconteceram em terrenos com vegetação seca.

Em comparação com os úl­timos anos, caiu o número de registros nesses municípios. Em 2010 o total foi de 113 (49 em prédios e 64 em vege­tação). No ano anterior, 130 incêndios (48 em residências e 82 em terrenos).

Quanto a Encantado, o Corpo de Bombeiros atendeu 48 casos nos 12 municípios. Desses 29 em residências. Os 19 restantes aconteceram em matas.

Conforme dados da unidade de Estrela, a maioria dos casos nos nove municípios acontece na sede e em Bom Retiro do Sul. Nos últimos doze meses, foram 71 incêndios, sendo 30 em casas, galpões e indústrias. Outros 25 em vegetação, sete em lixo e nove em veículos.

O comandante dos bombei­ros de Estrela, o tenente Carlos Alberto Hampel, diz que no ve­rão as queimadas aumentam o índice de ocorrências. Em bei­ra de estrada, o risco é acen­tuado devido à vegetação. “O simples fato de jogar um toco de cigarro para fora do carro é suficiente.”

Sobre as queimadas para limpeza de área, Hampel res­salta que a prática é crime. Ele explica que há uma grande possibilidade do incêndio sair do controle e atingir casas, gal­pões e redes elétricas.

Dicas de Segurança

Em casa:

– Colocar o botijão de gás para a parte externa;

– Usar aquecedores só quando os moradores estive­rem acordados. A dica serve para fogão a lenha;

– Evitar deixar velas ace­sas;

– Evitar deixar crianças so­zinhas;

– Não ligar diversos apare­lhos na mesma tomada. Evita as quedas de energia e a so­brecarga.

Nas lavouras:

– Queimadas são crimes e fogem do controle em dias quentes (em especial no ve­rão);

– Não jogar cigarros acesos nas estradas e em campos secos.

Fonte: Corpo de Bombeiros