Ensino Médio muda e exige preparação

Notícia

Ensino Médio muda e exige preparação

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Desde setembro, as escolas estaduais analisam de que forma atuarão no novo Ensino Médio. Professores e alunos estão despreparados e enfrentam dificuldades em compreender a reforma. Até o dia 23 de dezembro, quando termina o ano letivo, as escolas terão que apresentar um esboço de como atuarão em 2012.

Neste projeto o colégio terá que apresentar quais serão os eixos que os alunos poderão optar para estudar, aliados ao conteúdo e de que forma os professores o trabalharão. Os temas escolhidos deverão ser relacionados às demandas do mercado de trabalho da cidade.

edSegundo a assessora estadual do Ensino Médio e integrante do grupo que elaborou a reforma, Vera Ferreira, o aluno da rede estadual não será mais preparado para o vestibular e sim, para o mercado de trabalho. “Ele terá que criar um projeto de vida profissional na escola”.

Segundo Vera, o aluno aprenderá a enfrentar e resolver os problemas da sua cidade. E isso terá que ser acompanhado pelo professor.

As disciplinas seguem as mesmas, o que muda são os conteúdos e a forma de ensinar. O aluno deverá buscar o aprendizado e o professor terá que estudar mais para poder acompanhar esta evolução.

O educador aprenderá e se capacitará, no primeiro ano, junto com o aluno. A reforma será implantada de forma gradual, até 2014. Em 2012, apenas os alunos do 1° ano do Ensino Médio serão contemplados. Em 2013, serão incluídos os do 2° ano, e em 2014, os do 3°. O projeto é sujeito a adequações ao longo desses três anos.

Os dirigentes do Centro de Professores Primários Estaduais (Cpers) argumentam que a medida produzirá uma “mão de obra barata” para as empresas, e fragilizará a preparação dos estudantes para concursos vestibulares. O governo diz que mesmo que o vestibular não seja o objetivo, desta forma ele terá mais chances de concorrer a vagas no Ensino Superior.

A coordenadora regional da Educação, Marisa Bastos diz que o estado está explicando o processo para as escolas e acredita que todas se adaptarão com facilidade até o início das aulas.

Escola de Taquari apresentou esboço

A Escola Estadual Barão de Antonina, de Taquari, foi a primeira a apresentar um esboço de como trabalhará em 2012 à Coordenadoria Regional de Educação.

Conforme a diretora Bárbara Luciane de Paula dos Reis, os professores se reuniram e escolheram três eixos para serem trabalhados. No primeiro ano será o comércio; no segundo, a agricultura; e no terceiro, a construção civil. No fim do curso o aluno definirá um dos três eixos para fazer seu trabalho de conclusão e de campo.

Ela salienta que ainda há muitas dúvidas entre os professores sobre como atuar. Bárbara conta que tem dificuldades com o espaço físico e não sabe como dará as aulas extraclasse. Segundo ela, seu filho ingressa em 2012 no Ensino Médio e, como mãe, confia no trabalho da escola, mas tem angústia quanto à metodologia e o futuro do filho.

Veja o que mudará com a reforma

Para o professor

Capacitação: Cinco dias antes do início das aulas, professores receberão formação. Eles aprenderão a metodologia: como pesquisar, elaborar projetos, interpretar textos e trabalhar com a interdisciplinaridade;

Planejamento: Será destinada uma hora semanal para sessão de estudo;

Atuação: Terá que avaliar o aluno pelo conhecimento em diversas áreas, as provas não terão mais o maior peso da nota;

Ensino: Terá que mostrar a realidade e auxiliar no processo de amadurecimento do adolescente;

Comunicação: As disciplinas estarão ligadas, deverá haver uma maior comunicação entre os professores.

Para o aluno

Vestibular: O aluno não será mais preparado para o vestibular com conteúdo normal. As disciplinas serão voltadas para o mercado de trabalho;

Avaliação: Será por conhecimento e não por prova;

Horário: Terá um acréscimo de 5 horas semanais em aulas, usadas em um dia no turno oposto às aulas;

Ensino: no primeiro ano aprenderão como fazer uma pesquisa científica; no segundo ano, como construir um projeto analisando diversas áreas; e no terceiro ano, terão que definir uma área de atuação, elaborar um projeto maior sobre o tema e realizar trabalhos de campo – como se fossem estágios.

O que muda na escola

Ensino: Será dividido em três eixos: magistério, profissionalizante e politécnico;

Espaço físico: Terá que ser melhorado para se adequar ao ensino das áreas escolhidas;

Mercado: Poderá oferecer ao aluno os eixos que ele deverá trabalhar para facilitar ao professor a forma de trabalho.

Acompanhe
nossas
redes sociais