Morte reacende problemas no atendimento

Notícia

Morte reacende problemas no atendimento

Por

Por volta das 22h40min de quarta-feira, moradores da rua Presidente Vargas encontraram Fritsch deitado no asfalto, próximo da empresa Cosuel.

Conhecido como “Pastel”, ele estava bastante machucado. Testemunhas afirmam que teria sido atropelado por um veículo de cor escura, que fugiu do local sem ser identificado.

samuA Brigada Militar (BM) foi comunicada às 22h45min e uma viatura se deslocou para atender a ocorrência. Por volta de 23h10min, a ambulância da Secretaria Municipal de Saúde chegou ao local. Não havia médicos ou enfermeiros no veículo, apenas um motorista sem as qualificações necessárias para prestar atendimentos de urgência.

Eram 23h14min, quando a base do Samu em Lajeado recebeu a ligação da Central Reguladora de Porto Alegre, responsável por atender as chamadas provenientes do 192. Populares garantem que as ligações para a central se iniciaram às 22h45min.

A ambulância chegou ao local em 13 minutos. Neste momento, a equipe médica sofreu ameaças de moradores irritados com a demora, ao mesmo tempo em que iniciavam os trabalhos de reanimação do paciente. A BM teve de intervir.

Pastel chegou ao hospital às 23h48min, mais de uma hora após o primeiro contato com a BM. Ele morreu 25 minutos depois. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) mostra que ele sofreu hemorragia interna, causada por múltiplas fraturas nas costelas e perfuração dos pulmões.

O caso é investigado pelo delegado João Alberto Selig. “Tudo indica que foi atropelamento, mas ainda estamos averiguando outras informações.” A perícia recolheu uma parte do para-lama esquerdo do veículo que ficou no local.

Administração municipal insatisfeita com serviço

Conforme a secretária da Saúde, Helena Matte, o município repensará o contrato firmado com o Samu. “Estamos pagando por um serviço que dessa vez nos deixou decepcionados. Sentaremos e reveremos esse consórcio.”

Ela confirma que a administração municipal não tem autonomia para tratar de casos de urgência. São três ambulâncias municipais, mas nenhuma conta com médico.

Hoje, dos 42 municípios que compõem a 16ª Coordenadoria Regional de Saúde, Capitão, Marques de Souza, Colinas, Imigrante, Bom Retiro do Sul, Cruzeiro do Sul, Santa Clara do Sul, Travesseiro, Putinga, Fontoura Xavier e São José do Herval não participam do consórcio com o Samu. Para integrar o Samu, cada município paga R$ 0,21 por morador. Quem não participa do consórcio paga R$ 0,29.

Equipe do Samu se justifica

A enfermeira responsável pelo Samu, Rosana da Rosa Benovit está abalada com as ameaças sofridas na noite de quarta-feira. Ela diz que alguns moradores ameaçaram sua vida “caso o paciente morresse”. “Como trabalharemos dessa forma?”

Rosana garante que diversos problemas resultaram no atraso da equipe. O principal teria sido as informações repassadas para a Central Reguladora. “Eles receberam mais de três endereços diferentes para o mesmo caso.”

O fato da ambulância do município estar no local prejudicou o atendimento. Essa informação chegou até a Central. “Isso fez com que o caso fosse tratado com menos urgência. Eles entenderam que a pessoa estava sendo atendida.” No entanto, a ambulância contava apenas com um motorista. “A presença dela no local era inútil.”

Ela pede apoio da comunidade e da imprensa para reivindicar uma Central Reguladora mais próxima da região. Isto agilizaria o atendimento. Segundo a enfermeira, Pastel apresentava sinais de agressão com arma branca.

Bases e municípios atendidos

Arvorezinha (uma ambulância de suporte básico) – atende também Itapuca, Ilópolis e Anta Gorda;

Encantado (uma ambulância de suporte básico) – atende também Dois Lajeados, São Valentim do Sul, Muçum, Vespasiano Corrêa e Doutor Ricardo, Relvado, Coqueiro Baixo, Nova Bréscia e Roca Sales;

Estrela (uma ambulância de suporte básico) – atende também Fazenda Vilanova e Tabaí;

Lajeado (uma ambulância de suporte básico e uma de suporte avançado) – atende também Boqueirão do Leão, Progresso, pouso Novo, Canudos do Vale, Forquetinha, Sério, Arroio do Meio e BR-386;

Teutônia (uma ambulância de suporte básico) – atende também Poço das Antas, Paverama e Westfália.