Pedestres disputam  espaço com veículos

Notícia

Pedestres disputam espaço com veículos

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

A falta de acostamento em cinco rodovias esta­duais na região, somada à imprudência dos con­dutores, preocupa a comunidade. O problema se agrava em locais onde há mais buracos e a sinali­zação está defasada, dificultando a trafegabilidade.

As rodovias que mais geram reclamações estão: em Progresso (RST-423), Colinas (ERS-129), Arvo­rezinha (ERS-332), Arroio do Meio (VRS-811) e Santa Clara do Sul (ERS 413).

Nesses locais há intenso tráfe­go de veículos e muitos pedestres utilizam a pista para fazer cami­nhadas ou para se deslocarem até as residências, podendo ser atro­pelados.

ersOs moradores cobram medidas urgentes do Departamento Au­tônomo de Estradas de Rodagem (Daer), como a ampliação do acos­tamento, antes que aconteçam acidentes.

A preocupação levou o morador da ERS-413, Jorge Classmann, 46, a promover um abaixo-assinado exigindo a colocação de acosta­mento. A rodovia faz a principal ligação entre Santa Clara do Sul e Lajeado.

O documento será encaminha­do ao Daer nas próximas sema­nas e estará anexado a um ofício da Câmara de Vereadores de Santa Clara do Sul, que reitera o pedido. Há oito anos a comunidade espera pela ampliação da rodovia.

Classmann diz que a medida surgiu diante da preocupação em ver seus quatro filhos adolescen­tes terem sair de casa. Ele teme que aconteçam acidentes.

A coleta das assinaturas come­çou em outubro e desde então 120 moradores aderiram. Até o fim do levantamento, Classmann espera que o número seja superior a 200. A prioridade é para os moradores locais. Depois será aberto a motoris­tas que trafegam pelo local.

O morador ressalta que todos os dias pessoas caminha à beira da estrada e reclama que não há um espaço adequado para caminhar com segurança. Ressalta que é obrigado a caminhar nas valetas ou entre os veículos. Ele diz que os motoristas não respeitam o pedestre e trafegam em alta velo­cidade.

A administração municipal en­caminhou em abril uma solicitação ao Daer, mas este não respondeu.

Municípios que custearam as obras

Cansados de esperar por me­lhorias oriundas do governo, La­jeado e Mato Leitão financiaram as obras de acostamento. Na ERS-413, a administração municipal de Lajeado investiu R$ 200 mil, em 2008, na construção de 2,65 quilômetros de calçada, desde a ERS-130 até a Escola Municipal São Bento. A segunda etapa con­sistiu na construção de mais um quilômetro com R$ 137.226,22 in­vestidos com recursos próprios.

No início do ano, o prefeito de Mato Leitão, Carlos Alberto Bohn projetou 2,7 quilômetros de acos­tamento no Acesso 20 de Março, ligando o centro a RSC-453.

DAER tem outras prioridades

Conforme a assessoria de comunicação do Daer, em ambas as rodovias há acostamento de meio me­tro, conforme projeto. Se a comunidade tem interesse em ampliar essa dimensão, deverá formalizar um pedi­do e depois será verificada a possibilidade de execução da obra. De acordo com o departamento, inexiste pro­jeto e os recursos são insu­ficientes.

A assessoria informou que no cronograma do atual go­verno, a prioridade é con­cluir as obras do Programa de Acessos Municipais e aumentar a capacidade (du­plicação) das estradas com maior circulação diária de veículos.

Acompanhe
nossas
redes sociais