Comissão cobra medidas imediatas na Via Láctea

Notícia

Comissão cobra medidas imediatas na Via Láctea

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A comissão formada para pleitear a duplicação da ERS-128 (Via Láctea), exigirá ações imediatas à Secretaria Estadual de Infraes­trutura (Seinfra), ao Departamen­to Autônomo de Estradas de Ro­dagem (Daer) e à concessionária Sulvias: melhoria da sinalização; construção de rótulas; e a instala­ção de três lombadas eletrônicas.

O coordenador da comissão, o vice-prefeito Ariberto Magedanz aguarda a confirmação de audiên­cias com o secretário Beto Albuquer­que e a diretoria do Daer em Porto Alegre para fazer a cobrança.

Segundo Magedanz, as medidas diminuirão os crimes de trânsito na rodovia. Só neste ano, foram 13 mortes no trecho de dez quilô­metros que corta o município. Ele espera que as implantações ocor­ram no início de 2012.

O pleito para a duplicação da Via Láctea é a segunda etapa da comissão. “Hoje nós só temos uma ação cível movida pelo Ministério Público e não podemos nos basear apenas por ela.”a

Magedanz projeta o início das obras para, no mínimo, daqui cinco anos – tempo quatro vezes inferior que a duplicação da BR-386 entre Ta­baí e Estrela. Conforme ele, o estado poderá agir mais rápido porque a rodovia está sobre a faixa de domí­nio estadual, tornando desnecessá­ria a desapropriação de parte das áreas de empresas e de moradores próximos da Via Láctea.

A comissão é formada por cinco componentes que representam o Executivo, o Legislativo, as empre­sas, o Conselho Municipal de Trân­sito e a sociedade.

O Daer informa que as prio­ridades do governo estadual são as obras de acessos mu­nicipais e a duplicação de ro­dovias com maior circulação diária de veículos. A Via Lác­tea não consta nos planos do estado até este momento.

Mesmo que estivesse, o iní­cio da obra poderia demorar mais do que os cinco anos pre­vistos por Magedanz, pois são seis etapas a serem seguidas pelo departamento: questões ambientais, desapropriações (com reassentamento), projeto final de engenharia, licitação, contratação da empresa e or­çamento.

“Esperávamos que a AL tomasse alguma atitude”

Anunciada em agosto, du­rante uma audiência pública realizada no município, a co­missão só foi formada neste mês. O coordenador afirma que a demora foi motivada pela Assembleia Legislativa (AL). “Esperávamos que a AL tomasse alguma atitude.”

A proposta foi do presidente da Comissão de Segurança e Serviços Públicos da AL, o de­putado estadual Luis Fernando Schmidt (PT). Ele salienta que a demora na composição não afetará a reivindicação, pois a rodovia serve como ligação da Região Metropolitana com o Noroeste e a Serra.

A comissão projeta a duplica­ção de dez quilômetros da Via Láctea, entre os bairros Teutônia e Canabarro. Só em Teutônia, são 17.099 carros emplacados, segundo o Departamento Na­cional de Trânsito (Denatran), o equivalente a 0,6 por pessoa.

Pelo menos 80 caminhões trafegam diariamente na ro­dovia, pois nela estão insta­ladas empresas do ramo de laticínios, calçadista e de ele­troeletrôn