Atualização do Bolsa Família termina em outubro

Notícia

Atualização do Bolsa Família termina em outubro

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Mais de 800 mil fa­mílias brasileiras de um total de 1,3 milhão convocadas não se apresentaram para o reca­dastramento do Programa Bolsa Família. O prazo se encerra no dia 31. Quem estiver há mais de dois anos sem atualizar as infor­mações terá o pagamento bloque­ado até regularizar a situação.

bolsaÉ necessário ir a um Centro de Referência de Assistência Social (Cras) com o Cadastro de Pessoa Física (CPF) e título de eleitor. No recadastro do Bolsa Família de 2009, mais de 40 mil famílias gaúchas tiveram o benefício blo­queado. Em Lajeado, foram 34.

Segundo a secretária Nara Worm, da Secretaria do Trabalho, Habita­ção e Assistência Social (Sthas) do município, no caso de nascimentos ou mortes, as certidões devem ser apresentadas. Caso haja troca de endereço, é exigido o novo compro­vante de residência.

Segundo ela, as agentes de saú­de e da assistência social aprovei­tam o contato para lembrá-los de atualizar o registro e se inscreve­rem no Cadastro Único.

A cada semestre os municípios reavaliam as condições dos be­neficiados. Para manter o paga­mento, todos devem se pesar no posto de saúde e comprovar que os filhos frequentam a escola.

A dona de casa Loiva Teves divide uma casa de madeira no bairro Montanha com o marido e quatro filhos. Não sabia que o prazo de atualização termina no fim deste mês. Para ela, os RS 167 mensais são fundamentais para o sustento da família.

A filha Leinara de Quadros, 12, tem problema de crescimento e respira por uma válvula coloca­da na traqueia. Os custos com medicação ultrapassam o valor do benefício. “Em dias úmidos, tosse bastante, necessitando de mais medicação.” Depois de avi­sada, diz que renovará o cadas­tro. “Não posso perder.”

Pessoas que recebem dinheiro ou participam de programas so­ciais do governo, entre eles, o Be­nefício de Prestação Continuada (BPC), destinado aos deficientes, e o financiamento habitacional Minha Casa Minha Vida devem ser incluídas no Cadastro Único do governo federal. Os Cras apro­veitarão o recadastro do Bolsa Fa­mília para preencher este banco de dados.

Saiba mais

O programa atende hoje 12,8 milhões de famílias com renda mensal inferior a R$ 70 por membro ou até R$ 140 caso tiver filhos de até 17 anos. Todo mês, cerca de R$ 1,2 bilhão é destinado a essas pessoas. Segundo dados da Agência Brasil, dos 16 milhões de brasileiros em situação de extrema pobreza, 40% são menores de 14 anos.

Região se apressa

Os municípios da região que mais dependem do re­curso federal são Pouso Novo, com 17,5% de famí­lias atendidas e Progresso, com 16,5% (veja boxe).

Em Lajeado, 1.280 fa­mílias recebem o auxílio. Destas, 153 estão com as informações desatualizadas e podem ter o benefício can­celado. Segundo Nara, uma mensagem no extrato que acompanha o saque do be­nefício avisa estas pessoas sobre o recadastro.

Segundo a coordenadora da Assistência Social de Teu­tônia, Margrit Grave, cerca de 20% das 182 famílias que recebem o pagamento de­vem procurar a sede do Cras para atualizar as informa­ções. “Há muita migração de pessoas, por isso os registros devem ser atualizados com frequência.”

Em Arroio do Meio, a so­lução foi organizar um mu­tirão de agentes da assistên­cia social. Desde a semana passada, 150 famílias, das 230 beneficiadas no muni­cípio, foram recadastradas. Em Encantado, das 476 be­neficiadas faltam 50.