Começa um novo ciclo no radiojornalismo do Vale

Notícia

Começa um novo ciclo no radiojornalismo do Vale

Por

Dreams - Lateral vertical - Final vertical

O Grupo Independente anuncia hoje a compra da rádio Alto Taquari de Estrela. A emissora é a mais antiga da região, com 63 anos. Desde 1948, opera pelas ondas da AM 820.

A negociação ocorre há cerca de um ano, quando o proprietário e ex-deputado federal Nelson Proença – que administra uma rede de rádios no estado – manifestou interesse em vender a emissora para investir na área da Construção Civil e mercado financeiro. Outros grupos de comunicação estadual, como a Gazeta de Santa Cruz do Sul, queriam comprá-la.a

Nas últimas décadas, a Alto Taquari enfraqueceu. O faturamento, que beirou R$ 100 mil em épocas de “ouro”, se resume a menos da metade. Idem com o número de funcionários, que chegou a 30 e hoje tem cinco.

Mesmo vendida, sua história é inabalável. Passaram pelos microfones da 820, ícones do jornalismo gaúcho como Sérgio Zambiazi, natural de Encantado e que começou sua carreira de comunicador em Estrela. Alexandre Garcia, da Rede Globo, é outro exemplo.

A programação será reformulada. Renato Worm, com mais de 30 anos de experiência na área, deverá coordenar o projeto. O envolvimento comunitário com apelo popular será o mote principal da rádio, que se chamará “Rádio do Vale AM 850”.

A atuação oficial deverá começar em dezembro ou janeiro. Antes disso, parte da programação será transmitida simultaneamente na Independente AM e Alto Taquari.

Os funcionários da rádio estrelense permanecerão. Entre eles, Lauro Schmitt, que está na emissora há 41 anos e é a referência deste veículo de comunicação.

O valor da transação ficou em torno de R$ 1,5 milhão.

Paradigma cultural

A disputa de “beleza” entre as cidades de Lajeado e Estrela – que se mantém até hoje – ocasionou a criação da Rádio Independente, em 1951. Na época, empresários lajeadenses estavam incomodados por Estrela ter rádio e Lajeado não. Seis décadas depois, a história trata de unir “criatura e criadora”.

A junção dos dois veículos de comunicação abre um novo ciclo no radiojornalismo regional. Quebra o paradigma conflituoso e a Independente passa a centralizar a força do rádio no Vale do Taquari.

Quem sabe, o começo desta nova etapa desperta administradores públicos e privados de que as águas do Rio Taquari não impedem trabalho coletivo em busca do desenvolvimento das duas cidades. O povo sairia ganhando.