Agência tem 160 mil correspondências paradas

Notícia

Agência tem 160 mil correspondências paradas

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A greve mais longa da história da Empresa Brasileira dos Correios e Telégrafos (ECT) pode terminar hoje com a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Em Lajeado, os grevistas da agên­cia que abrange 34 unidades com­pletam 28 dias parados. De acordo com a gerência, cerca de 160 mil correspondências aguardam des­tino, o que poderá levar algumas semanas para normalizar. A mé­dia diária de entregas é de 20 mil cartas.

Na sexta-feira, os grevistas re­jeitaram a proposta de acordo do Tribunal Superior do Trabalho (TST). A ministra Maria Cristina Irigoyen Peduzzi sugeriu a com­pensação de 24 dias parados com trabalhos extras em sábados e domingos. Na proposta encami­nhada à categoria, havia ainda o reajuste de 6,87%, abono imedia­to de R$ 800 e aumento de R$ 60 a partir de janeiro de 2012.b

A Federação Nacional dos Em­pregados em Empresas de Cor­reios, Telégrafos e Similares (Fen­tect) rejeitou a proposta por não concordar com o desconto do ven­cimento dos trabalhadores. Há 12 dias, o TST havia proibido os Cor­reios de descontarem o vencimen­to dos grevistas, alegando “direito de greve”, prevista na Carta Políti­ca de 1988.

Segundo o coordenador das sub­sedes da região dos vales do Rio Pardo e Taquari, Décio Custódio, hoje, às 16h, serão decididos os dissídios. Os grevistas afirmam que é falsa a informação de que apenas 20% dos trabalhadores aderiram ao movimento, visto que na última proposta, uma das determinações era que ao menos 40% dos funcionários de cada uni­dade voltasse ao trabalho. “Se a greve não tivesse força, não have­ria necessidade de acordo.”

Uma das exigências é o aumen­to no número de concursos para carteiro, que diminuirá a carga horária de alguns servidores que chegam a trabalhar 18 horas por dia. Se o STJ obrigar os grevistas a voltarem ao trabalho, a Fentect deverá pagar R$ 50 mil de multa por dia de paralisação.

Greve dos bancos aumenta filas

Enquanto grevistas ganham força no movimento, clientes lotam as filas das lotéricas na região para o pagamento de boletos não recebidos pelos Correios ou por serviços não prestados pelas agências da Caixa Econômica Federal e Banrisul.

Na manhã de ontem, as agências do Banrisul do centro e do bairro Florestal aderiram à greve dos bancários. Também em Dois Lajeados e Roca Sa­les. Estão fechadas as agências da Caixa Econômica Federal de Estrela, Lajeado, Arroio do Meio, Muçum, Encantado e Ve­nâncio Aires. A categoria busca reajuste de 12,8% no salário.

Para a massagista Daniela Macedo, o pagamento da conta do celular só foi possível devido à impressão do boleto pelo site da empresa. “É um transtorno, pois estou perdendo tempo de serviço esperando na fila.” Se­gundo o gerente de uma casa lotérica do centro de Lajeado, o aumento das filas diminui a qualidade no atendimento, sendo que gera uma espera de no mínimo dez minutos.