Feira promoverá o turismo regional

Notícia

Feira promoverá o turismo regional

Por

A menos de um mês para a realização da maior feira municipal, orga­nizadores finalizam os últimos detalhes e se proje­tam para a chegada de 20 mil visitantes. O evento evidenciará a atividade turística na região, oferecendo diversificação para a economia local.

Segundo a assessora Adminis­trativa e Turismóloga, Heloísa Martins, no município há diversos atrativos turísticos, mas poucas pessoas se interessam em traba­lhar no meio. Ela diz que a feira será uma oportunidade de mos­trar a possibilidade de se tornarem empreendedores do turismo.

forqTodo apoio ao início da prática turística no município será discu­tido no 2º Seminário Regional do Turismo, que terá apoio da Asso­ciação dos Municípios de Turismo do Vale do Taquari (Amturvales), em parceria com o G8. O evento ocorre no primeiro dia de feira, às 15h30min, no Salão de Pedras.

Conforme Heloísa, o seminário será voltado à realização da Copa do Mundo de Futebol de 2014. “Que­remos motivar o Vale para que em­preenda o turismo. Não adianta ter uma rota turística se não houver atrativos explorados.”

Durante a realização da feira, grupos que estiverem previamente agendados farão um tour pelo mu­nicípio, com o apoio de guias locais, que mostrarão a cidade, como pré­dios públicos e outros locais.

Na sexta-feira, às 16h30min, haverá reunião da Associação dos Municípios do Vale do Taquari, que estará comemorando 50 anos. He­loísa diz que é necessário difundir a consciência do turismo por meio dos administradores municipais da região. “As pessoas só estarão confiantes, após saber como fun­ciona.”

O município mostrará suas po­tencialidades, a partir das 19h, com o desfile temático, em que di­versas entidades estarão presentes. A abertura ocorrerá às 20h.

Vagas estão preenchidas

Todos os 98 espaços colocados à disposição de empresas e co­merciantes foram vendidos. Dos 63 estandes na parte interna e dos 35 externos, 13 serão ocupa­dos por empresas locais.

Conforme o responsável Ro­berto Müller, o comércio munici­pal recebeu incentivo financeiro para expor seus produtos e tive­ram desconto de R$ 50 por loca­ção de estande. São dois tipos de espaços, um de seis metros quadrados por R$ 250 e outro de oito metros quadrados por R$ 300.

Müller ressalta além dos es­tantes de empresas haverá feira de artesanato, produtor rural e clubes de mães. “Todas as pes­soas interessadas poderão par­ticipar. Não damos suporte só ao comércio, mas também aos grupos locais.”

“Uma festa diferente”

De acordo com o secre­tário da Administração, Paulo Ströeher, a feira mostrará o potencial eco­nômico do município e di­vulgará a cultura germâ­nica. “Pretendemos que a festa fique marcada pela cultura típica alemã com danças, gastronomia e música.”

Ele comenta que de modo geral as feiras apresentam shows de re­nomes estaduais e até na­cionais, fazendo grandes investimentos. Na Expo­fest, esta atividade dará lugar a bailes. Ao todo serão nove bandas, que se apresentarão de forma simultânea em três pistas, durante todo o fim de se­mana. Visitantes serão re­cepcionados com música no pórtico da BR-386.

A feira está no pro­cesso de organização, mas Ströeher adianta que ocorrerão torneios de bolão e eisstocksport. Terão exposições perma­nentes, como comercial, industrial, agroindustrial, artesanato, parque de diversões, gastronomia, moinho colonial, mini­mundo e exposição de pequenos animais.

O parque de exposi­ções tem uma área de 14 hectares, mas apenas 3,5 estarão disponíveis com a infraestrutura da feira. O local passa por melhorias e a construção de prédios e banheiros públicos será finalizada.

Ströeher ressalta que uma das vantagens do município em relação a outros é ter um ambien­te propício para realizar uma feira. “Não teremos gastos com lonas e estan­des, pois toda estrutura física possuímos.”

Enchente prejudica

A 2ª Forquetinha Ex­pofest, realizada em novembro de 2009, foi marcada pelo mau tempo. O evento co­meçou na sexta-feira e a chuva dificultava o acesso dos visitantes. No sábado à tarde, as intempéries se intensifi­caram, e a cidade co­meçou a ficar alagada.

Com medo de que os visitantes ficassem ilha­dos no município, os organizadores pediram por meio do sistema de som, para que as pes­soas deixassem o local. Milhares participavam do evento e muitos fo­ram embora. Ströeher lembra que não havia previsão se as chuvas continuariam e a me­lhor decisão foi aquela. “Antes da noite, a situa­ção estavam se norma­lizando.”

No domingo, ape­sar do barro e o chão molhado, o sol predo­minou e cerca de oito mil pessoas visitaram a feira.