Descaso em obra aumenta riscos de acidentes

Notícia

Descaso em obra aumenta riscos de acidentes

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Moradores próxi­mo do desvio das obras do túnel da ERS-130, no bairro Campestre, pedem providên­cias aos órgãos públicos para aumentar a segurança no lo­cal. Os furtos de placas e ta­chões aliados à imprudência dos motoristas, aumentam os riscos de acidentes.

O trecho mais problemáti­co está no Km 73, no sentido Arroio do Meio a Lajeado. Mo­radora do prédio que fica em frente do local, Franciele Fer­reira conta que nas noites dos fins de semana, acidentes são comuns. “Quando ouvimos o barulho, parece que quebra algo no prédio. Mas, é o impac­to dos carros nas placas e to­néis que separam as vias.”

Na semana passada, um mo­torista não viu que a pista foi desviada e destruiu a parada de ônibus. Um dos tonéis foi arremessado cerca de 50 me­tros fora da pista.

Para o motorista aposenta­do Rudi Cornelius, morador do bairro há 30 anos, colocar sonorizadores a 50 metros do desvio e pintar no asfalto a ne­cessidade em reduzir a veloci­dade seriam alternativas. “Os motoristas estão acostumados a seguir em linha reta.”a

Conforme o secretário de Obras, Mozart Lopes, foram in­vestidos R$ 30 mil na sinaliza­ção do desvio. Ele acredita que vândalos roubaram e depreda­ram os objetos. “A partir de se­gunda-feira, serão instaladas placas e tachões na pista.”

O superintendente do Depar­tamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) de Lajeado, Hildo Mourão, declara que as pinturas na via também serão feitas na próxima semana.

De acordo com a Polícia Ro­doviária Estadual (PRE), foram 12 acidentes no ano. Cinco com feridos e um com morte. Na madrugada de 23 de junho, a motociclista Pâmela Andressa da Silva Luz, 20, bateu em um caminhão e morreu no local.

Túnel será finalizado em dezembro

Iniciadas em março de 2010, as obras estão atrasa­das. A previsão era concluir o túnel em junho deste ano. Os motivos apontados por Lopes envolvem demora no repasses de verbas do Daer e chuvas.

Orçada em R$ 2,6 milhões, sendo R$ 1,8 milhão do estado, R$ 460 mil do município e R$ 328 mil do governo federal, a previsão é concluir em dezembro.

O túnel ligará os bairros São Cristóvão e Campestre. O trecho terá duas rotatórias de acesso, uma em cada lado da rodovia. Elas interligarão as ruas Juscelino Kubitschek, no Campestre, com a Epitácio Pessoa, no Universitário. A pri­meira estará ligada à rua Pau­lo Emílio Thiesen e à ERS-130. A segunda fará ligação direta com a Av. Amazonas, e com a rua Fábio Brito de Azambuja.

Enquanto o túnel não for fina­lizado, a rodovia seguirá interdi­tada num trecho de 300 metros. Uma via paralela foi construída pela administração municipal para o desvio de veículos. Os motoristas podem optar pelas ruas Juscelino Kubitschek, no bairro Campestre, e Epitácio Pessoa, no Universitário, para desviarem das obras.

O amigo e colega Ditmar Born participou da última fase da Barbearia do Hans ao lado do fotógrafo Ademir Beckmann. Ele lembra os eventos realizados nas localidades do interior. Nestas ocasiões, quando questionado sobre nome da atração, definia: “A barbearia é o lugar onde tem bastante fuxico”.

O programa era apresentado ao vivo, direto das comunidades e programações festivas. Segundo Born, o personagem conquistou o carinho no interior e na cidade. “Muitos profissionais liberais saíam para o almoço e ligavam o rádio para rir com o Hans.”

O radialista Jacy Pretto conheceu Loeffler há 21 anos. Neste período descobriu uma pessoa “de personalidade forte, mas muito tímida” que encontrou na comédia uma válvula de escape e de comunicação com o mundo. Lembra com saudade a figura que tinha gosto pela vida e sempre um comentário inteligente na “ponta da língua”. “Tenho certeza que é desta forma e com muita saudade que a comunidade se lembrará dele.”

Para Paulo Rogério, sua morte representa a perda de um patrimônio histórico da Rádio Independente e da comunicação social do interior do estado. Com o jornalismo cada vez mais sério e profissionalizado, sobra cada vez menos o espaço para improvisadores e humoristas como Harry. “O humor feito com inteligência é uma espécie de charge da realidade.”