Vale recomeça pleito pela duplicação da ERS-130

Notícia

Vale recomeça pleito pela duplicação da ERS-130

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O trecho de 16 quilô­metros da ERS-130, que liga Arroio do Meio a Lajeado, po­derá ser duplicado. A via que foi palco de várias tragédias e registra hoje movimento de nove mil veículos por dia deverá ampliar este número, principalmente com o au­mento de caminhões.

Uma comissão pró-duplica­ção da rodovia foi formada na tarde de ontem, na Se­cretaria de Educação e Cul­tura. Farão parte do grupo a administração municipal, Associação Comercial, Indus­trial e de Serviços de Arroio do Meio (Acisam), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Câ­mara de Indústria e Comércio do Vale do Taquari (CIC-VT).

duConforme o presidente da CIC-VT, Oreno Ardêmio Heine­ck, o fluxo de nove mil carros por dia deverá ser ultrapassa­do com a vinda de empresas como: Valelog, Neugebauer e ampliação da Bremil e Co­suel. O empresário Gilmar Borchardt afirmou que é pre­ciso evitar novos acidentes fatais. “Com o crescimento da indústria e o aumento de veículos na rodovia tornou-se necessário investir na infra­estrutura.”

Só a fábrica da Neugebauer gerará um aumento de mais 200 caminhões. Desde 2010 ocorreram 190 acidentes num espaço de 16 quilômetros en­tre as duas cidades. Há 15 meses, o então diretor geral do Departamento Autôno­mo de Estradas de Rodagem (Daer), Vicente Britto Pereira havia anunciado a duplica­ção da ERS-130, num trecho maior – entre Cruzeiro do Sul e Encantado.

Neste ano, alguns líderes regionais estiveram na Se­cretaria de Infraestrutura e Logística (Seinfra) e se de­cepcionaram ao ver que não havia projeto em andamento. Na ocasião, a comitiva regis­trou um protocolo reivindi­cando a duplicação.

Agora, a comissão formada deverá aumentar a pressão com o governo estadual. Há cinco meses, o deputado esta­dual Edson Brum protocolou na Assembleia Legislativa um pedido para duplicar o mesmo trecho na rodovia. Os recursos deverão vir do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Mortes no trecho

A morte da estudante Katiele Salton, 23, que foi colhida por um caminhão quando fazia a travessia da pista no entroncamento do quilômetro 75, aumentou o alerta. O ciclista Lindomar Paulo Lopes, 60, também morreu ao ser atingido por uma motocicleta.

A sequência de mortes ini­ciou em outubro de 2010, quando Carlos Alexandre Hendges, 30, colidiu com o Corsa contra um caminhão que fazia uma ultrapassa­gem em local proibido.

Segundo a Polícia Rodo­viária Estadual (PRE), neste trecho que liga Lajeado a Arroio do Meio, entre janei­ro e março de 2010 foram registrados 53 crimes de trânsito, com 31 feridos e nenhuma morte. Neste ano, no mesmo período, foram 50 acidentes, com 39 feridos e duas mortes.