Partidos reforçam quadro de candidatos

Notícia

Partidos reforçam quadro de candidatos

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Os partidos correm con­tra o tempo para for­talecer o quadro de candidatos às eleições municipais, marcadas para 2012. A determinação do Tribunal Su­perior Eleitoral (TSE) é de que as filiações se encerrem em 7 de ou­tubro – um ano antes do pleito.

O Partido Progressista (PP) foi o que mais cativou postulantes a cargos eletivos, para compor as chapas como vice-prefeitos. Em Santa Clara do Sul, o empresá­rio César Marder assinou a ficha na noite de ontem, enquanto em Cruzeiro do Sul, o vereador Cé­sar Leandro Marmitt deve se fi­liar até esta sexta-feira – ambos eram do PMDB.

Eles alegam a insatisfação com as legendas em seus respectivos municípios para a mudança. Para Marder, o PMDB demorou em definir as coligações para o próximo ano e viu a possibili­dade de integrar a chapa como vice-prefeito ameaçada. Com o convite do PP, ele concorrerá ao lado de Fábio Fischer (PSDB), o pré-candidato à prefeitura.

Em situação semelhante está Marmitt, que alega falta de sin­tonia com o prefeito Rudimar Müller – quando o PMDB se co­ligou com o PT. O PP o convidou para integrar o quadro sob a pro­messa de ser o candidato a vice-prefeito.

O PMDB também teve desfilia­ção em Encantado. O ex-prefeito do município, Adroaldo Conzatti se filiará ao PSDB nesta quinta-feira. Na mesma data, o ex-vere­ador Irno Pretto assinará a ficha no partido, deixando o PP.

O coordenador regional do PMDB, o prefeito de Colinas Gil­berto Keller, não se surpreendeu com a saída destes representan­tes. Para ele, as convicções pesso­ais de cada um foram mais fortes do que a ideologia do partido, e diz que isso “faz parte do jogo político”.

As indefinições

Alguns cogitados como candi­datos mantêm o suspense quanto às próximas eleições. Fábio Gisch informa que decidirá pela carreira política momentos antes do fim do prazo de filiações. Ele diz que a pressão do PMDB de Forquetinha é grande e o tio Lauri Gisch – que foi prefeito do município – o mantém como sucessor.

Para Gisch, a dificuldade é ter de abdicar da carreira de advocacia por quatro anos. Ele tem um escri­tório, assessora as câmaras de Mar­ques de Souza e de Santa Clara do Sul e faz pós-graduação em Direito Criminal. “Eu só serei candidato se tiver um plano para me reeleger.”0

A mesma indecisão tem Daniel Fontana, que se desfiliou do PT após ser eleito deputado estadual. Ele ressalta que definirá a situação na próxima semana e que analisa a proposta de diversos partidos, entre elas a do próprio PT.

Caso volte ao PT, Fontana concor­rerá com outros três interessados em concorrer a prefeito: o também deputado estadual Luis Fernando Schmidt e os vereadores Sérgio Kni­phoff e Eloede Conzatti.

Schmidt diz que o partido deve­rá realizar uma prévia no próximo ano, por acreditar que todos os in­teressados são fortes nomes para as próximas eleições.

Crença na história política

A situação do PMDB muda em Estrela. Durante a conven­ção municipal, ocorrida no domingo, o partido filiou Ra­fael Mallmann, que pertencia ao PSDB. Ele é filho de Gabriel Mallmann, eleito prefeito por duas vezes entre as décadas de 1970 e de 1980.

O 1° vice-presidente da le­genda no município, o vere­ador Cristiano Nogueira da Rosa aposta no histórico do pai de Rafael para o sucesso nas próximas eleições. Além de ser prefeito, Gabriel também fun­dou o partido em Estrela.

Keller acredita que uma com­posição com Hélio Musskopf – que também foi prefeito – e Ra­fael poderá colocar o PMDB de volta no comando de Estrela, o que ocorreu quatro vezes. Em 2008, Rafael perdeu as elei­ções por 14 votos para Celso Brönstrup (PPS).

Suposições

O ex-deputado estadu­al, Marquinho Lang (DEM) negou que há acerto entre o seu partido e o PP de La­jeado para as eleições de 2012. Ele diz que houve apenas uma conversa com a prefeita Carmen Regina Cardoso.

Conforme ele, a transfe­rência de seu título de eleitor para Lajeado é a única con­firmação para as próximas eleições. O Democratas se organiza no município e uma definição ocorrerá no dia 6.

Outra suposição não con­firmada é a candidatura do empresário Ilvo Persch, da Certel. Ele admite ter sido convidado por um partido para concorrer a algum car­go eletivo por Lajeado em 2012, mas preferiu manter o silêncio quanto a isso.