Novas regras facilitarão acesso à compra

Notícia

Novas regras facilitarão acesso à compra

Por

O Legislativo aprovou nes­ta semana alterações no Plano Diretor e no Código de Edificações. As novas regras preveem a redução dos tama­nhos mínimos exigidos na hora de construir moradias, de acordo com a realidade do município.

Com o projeto, a administração municipal facilitará a compra de imóveis. A lei, que se mantinha inalterada há duas décadas no mu­nicípio, será revisada a cada dez anos, acompanhando o crescimento populacional.

pedreirosSegundo o secretário de Planeja­mento, Tiago Orsolin, as pessoas de baixa renda conseguirão se enqua­drar no Programa Minha Casa, Minha Vida com mais facilidade.

Entre as mudanças, os dormitórios antes com área mínima exigida de 12 metros quadrados diminuem para dez. As alterações servem tanto para habitações unifamiliares e coletivas ou plurifamiliares. Será obrigatório o depósito de lixo interno em banhei­ros, com metragem mínima de cinco metros quadrados. Para prédios com mais de 20 apartamentos, se acres­centa 50% da área exigida.

Sócio de uma construtora, Nivaldo José Magagnin espera que as mu­danças garantam oportunidades às pessoas. Segundo ele, as construções mudaram em 20 anos e, mesmo que diminuam os tamanhos dos compar­timentos, as famílias terão espaço su­ficiente para viver bem.

Na próxima semana, Magagnin co­meça a construção do primeiro con­domínio fechado do município. Serão 128 apartamentos, divididos em oito blocos que terão área de 55 metros quadrados, adequados à nova lei.

Sonho se torna possível

A estudante técnica em en­fermagem, Gabriela Bosini, 23, tem o sonho de comprar um imóvel. No momento, mora e trabalha com os pais num ar­mazém, em Jacarezinho.

Com as mudanças na cons­trução de habitações, vendidas a preços menores devido ao tamanho reduzido, conseguirá ter seu próprio espaço, poden­do financiá-lo pelo Minha Casa, Minha Vida.

“Terei meu próprio apartamen­to e continuarei perto dos meus pais.” Gabriela diz que o projeto dará oportunidade para que mais pessoas tenham casa própria.

Aumento de 11%

O último senso do Institu­to Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), reali­zado em 2010, aponta que a população do município cresceu 7% em relação a 2007, passando de 19.036 para 20.510 habitantes.

Segundo a responsável pelo cadastro imobiliário do município, Vera Lúcia Zatta, o número de mora­dias é de 7.474. Destas, 1.285 são imóveis co­merciais, 77 industriais e 6.112 residenciais.

Nos últimos dois anos, o número de moradias aumentou 11% até en­tão, sendo aprovados 324 projetos de construção em 2009; 331 em 2010, e 105 de janeiro a maio deste ano.