Secretária afirma que UTL foi sabotada

Notícia

Secretária afirma que UTL foi sabotada

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A secretária de Meio Ambiente (Sema), Ângela Schossler, acredita que houve sabotagem no vazamento de chorume da Unidade de Tra­tamento de Lixo (UTL) para o Arroio do Ouro, na Linha Del­fina.

“Foi verificada a entrada de pessoas estranhas, que filma­ram e fotografaram ações que não são os procedimentos cor­retos (usados pela UTL).” Ânge­la acrescenta que o vazamen­to do líquido foi provocado de maneira criminosa, pois cinco tampões – que evitavam a sa­ída do chorume de uma lagoa desativada – sumiram entre os dias 27 e 28 de agosto.

utlA secretária evita nomear os responsáveis pelo vazamento. O caso veio à tona na sessão do dia 29 de agosto do Legis­lativo, quando o vereador Joel Barcellos Mallmann (PSB) acu­sou o Executivo de crime am­biental.

Ela informa que registrou o sumiço dos tampões na Dele­gacia de Polícia do município. Segundo Ângela, os materiais estavam no local no sábado pela manhã, antes do respon­sável pela UTL sair. Ela acredi­ta que os tampões foram reti­rados no período da tarde.

Mallmann duvida da possi­bilidade de sabotagem. Confor­me ele, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) autuou o Executivo por irregu­laridades na UTL. O vereador questiona a defesa da secretá­ria. “O caso ocorreu entre sexta e segunda-feira. Por que só na terça-feira eles foram registrar a ocorrência?”

No dia 2 de agosto, a de­legada de Proteção ao Meio Ambiente, Elisângela Melo Reghelin vistoriou o local, acompanhada de técnicos da Fundação Estadual de Prote­ção Ambiental (Fepam), do Mi­nistério Público e do Instituto-Geral de Perícias (IGP).

Ângela acredita que a vin­da das autoridades ocorreu depois que Mallmann encami­nhou os vídeos e as fotos para o Ministério Público, no dia 30 de agosto.

Vereador se contradiz

Questionado sobre a au­toria dos vídeos e das fotos, Mallmann se defende. O ve­reador diz que não entrou na UTL, e sim na área da empre­sa NWasem – desativada pela administração municipal no dia 19 de agosto por poluir o Arroio do Ouro.

Conforme ele, visitou o lo­cal no domingo e, ao lado de Marcelo Braun (PSDB), se dirigiu para o arroio, onde constatou um mal-cheiro for­te. Mallmann informa que re­cebeu um envelope com três CDs pelo correio, no qual es­tava o material exibido na ses­são de fim de agosto.

O vereador contradiz a acusação feita no dia 29. Na gravação feita pela assessoria de imprensa – e disponível na página www.camaraestrela-rs.com.br – ele diz: “No sábado, recebemos algumas ligações e fomos até a Delfina, fizemos algumas gravações e tiramos algumas fotos e eu gostaria de mostrar para vocês.”

Na tribuna, ele disse que a administração da UTL auto­rizou o despejo de lixo líqui­do por acreditar que, por se tratar de um fim de semana, ninguém veria a suposta irre­gularidade.

Mallmann chegou a lamen­tar a ausência da Patrulha Ambiental durante a vistoria dele e de Braun. “Pena que não puderam ir durante o do­mingo, porque iriam pegar tudo isso que a gente mostrou no flagrante.”

Fepam multa executivo

A administração muni­cipal foi multada em R$ 14.757 por descumprir as normas de licenciamen­to da Fepam. O motivo, segundo a secretária do Meio Ambiente, é referen­te ao despejo de material durante um domingo ou um feriado. Ela acredita que a autuação se origi­nou depois que os vere­adores encaminharam o material à estatal.

O Executivo recorrerá da decisão. A defesa deve ser entregue em 20 dias e a assessoria jurídica traba­lhará na hipótese de sa­botagem.