Hemovale recebe 20% das doações necessárias

Notícia

Hemovale recebe 20% das doações necessárias

Por

O banco de sangue, Hemovale, precisa de ajuda. O aumen­to do uso por par­te de pacientes oncológicos atendidos pelo Hospital Bruno Born (HBB) e a diminuição de doação das pessoas que ti­veram gripes e resfriados fi­zeram com que o estoque de sangue esvaziasse.

Ele é o único no Vale do Ta­quari e recebe por dia apenas 20% das doações necessárias. Para suprir a demanda é pre­ciso de, no mínimo, 25 doa­ções diárias, mas ocorrem em média cinco.a

A maior dificuldade é com o estoque de plaquetas, usa­das para o tratamento de leucêmicos. Conforme a far­macêutica Kesiane Mayra da Costa, a maioria das pessoas doa sangue só para reposição, quando algum conhecido pre­cisa de ajuda.

Para aumentar o número de doadores a Hemovale fir­ma parcerias com as admi­nistrações indo até a cidade para coletar. O banco de san­gue funciona das 7h30min às 18h, de segunda a sexta-feira. Sábado, o atendimento é das 7h30min ao meio-dia. Mais in­formações pelo 3748-0442.

Ampliação de idade para doar

Em junho, foi publicada uma portaria que estabelece o novo Regulamento Técnico de Procedimentos Hemote­rápicos, com novos critérios para a doação de sangue no Brasil.

A legislação estabelece di­retrizes voltadas ao aumento da segurança para quem doa e recebe sangue e amplia a faixa etária para os doado­res. Faixa atinge jovens entre 16 e 17 anos (mediante auto­rização dos pais ou responsá­veis) e ampliação para idosos com até 68 anos (veja boxe).

Com as medidas, a previsão do Ministério da Saúde é que cerca de 14 milhões de brasi­leiros sejam incentivados a serem doadores em potencial. A Portaria determina que a orientação sexual (heteros­sexualidade, bissexualidade, homossexualidade) não deve ser usada como critério para a seleção de doadores de san­gue, por não constituir risco em si própria.

Ou seja, não deverá haver, no processo de triagem e co­leta de sangue, manifestação de preconceito e discrimina­ção por orientação sexual e identidade de gênero, hábitos de vida, atividade profissio­nal, condição socioeconômi­ca, raça, cor e etnia.

Hoje, o volume de sangue coletado no Brasil chega a 3,5 milhões de bolsas por ano. Esta quantidade é considera­da. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda cerca de 5,7 milhões de bolsas de sangue por ano.

Requisitos para doar sangue

– ter entre 16 e 68 anos;

– peso superior a 50 kg;

– se homem, deve ter doado há mais de 60 dias;

– se mulher deve ter doado há mais de 90 dias;

– não estar grávida;

– não estar amamentando;

– já ter se passado pelo menos três meses de parto ou aborto;

– não ter tido Hepatite após os 10 anos de idade;

– não ter histórico de contato com o inseto barbeiro, transmissor da Doença de Chagas;

– não ter malária;

– não sofrer de Epilepsia;

– não ter histórico de Sífilis;

– não ser diabético;

– não ter tatuagens recentes (me­nos de um ano);

– não ter recebido transfusão de sangue ou hemoderivados nos últimos dez anos;

– não ingerir bebidas alcoólicas nas 24 horas que antecedem a doação;

– se você estiver alimentado e com intervalo mínimo de duas horas do almoço;

– ter dormido pelo menos 6 ho­ras nas 24 horas que antecedem a doação;

– não se expor ao risco de con­trair o vírus da AIDS usando pre­servativos em relações sexuais, não tendo mais de dois parcei­ros sexuais nos últimos três me­ses e deixando de usar drogas injetáveis.