A força do Vale na Expoagas

Notícia

A força do Vale na Expoagas

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Terminou nesta quinta-feira a maior feira do setor supermercadista do Conesul. Em três dias, a 30ª Expoagas recebeu 334 expositores. Destes, 11 eram do Vale.

O evento ocorreu no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre, e recebeu um público de 38,3 mil pessoas. Movimentou uma quantia aproximada de R$ 274,6 milhões em negócios, uma média de R$ 822,2 mil por empresa expositora.

A próxima feira ocorre de 21 a 23 de agosto de 2012 e será lançada no dia 12 de setembro, quando se estima que cerca de 80% dos participantes desta edição confirmem presença.

O segmento dos supermercados foi o que mais participou, com 80,56%. Bares está em segundo, com presença de 5,07%.

O balanço foi divulgado pelo presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antônio Cesa Longo. Segundo ele, o resultado da ampliação de segmentos varejistas e dos visitantes foi devido aos investimentos da indústria em lançamentos e atrações aos compradores. O presidente relata que as empresas apostaram em estandes com design singular, que atraísse os visitantes.

O aumento das vendas na Expoagas, de acordo com Longo, supera as expectativas do setor supermercadista gaúcho para este ano, que espera um crescimento entre 4% e 6% nas vendas.

pO mercado gaúcho foi o principal alvo dos expositores. Do total negociado na feira, 77% das transações foi realizada junto a varejistas do estado. Ao todo, 4.322 empresas varejistas visitaram a Expoagas.

Estande com quatro ambientes para atrair clientes

A empresa Bebidas Chiamulera, de Lajeado, participa da feira desde 2006. Neste ano, ela investiu em um estande maior. Os proprietários apostaram no marketing da feira e apresentaram seus produtos em quatro ambientes com temas diferentes. Cada um se assemelha ao estilo de bebida.

Conforme o supervisor de vendas do estado, Gabriel Rebello, a empresa sempre aguarda a Expoagas para lançar produtos. Neste ano foram a ICE Perestroika e a Tequila ICE. Esta será vendida também no Paraguai.

Ela é uma bebida para o verão gaseificada, uma mistura de vodka, tequila e limão. Não é preciso usar sal e limão separado, como ocorre na degustação da tequila tradicional. O teor alcoólico é menor.

Segundo Rebello, no ano passado foi lançada na feira a bebida Miks ICE, que é uma vodka com chá. Ela representa hoje 33% do faturamento da empresa. São fabricadas por dia 17 mil garrafas do produto.

O supervisor conta que a empresa segue com suas linhas de bebidas quentes, como licores, coquetéis, entre outros, mas desde o ano passado aposta na tendência do mercado, as bebidas para o verão, as ice e energéticos. Para fabricar esses produtos foram investidos R$ 4 milhões em máquinas italianas e alemãs.

A Bebidas Chiamulera tem 25 anos de atividades. Hoje tem área fabril de 5,2 mil metros quadrados destinada ao envasamento de bebidas alcoólicas. A origem da empresa está ligada à produção de aguardente de cana, com oito marcas.

Começou atendendo o interior do estado e agora atende todo o estado, Santa Catarina e Paraná. A empresa incrementou o portfólio de produtos e de negócios, criando linhas de bebidas Premium e passando a atender o varejo, o autosserviço e outras praças fora da região sul.

A Bebidas Chiamulera tem uma variedade de mais de cem produtos entre as linhas de licores, bebidas quentes, aguardentes, cachaças, coquetéis, vodkas, xaropes e aperitivo de agave. Opera com uma equipe de mais de 90 funcionários.

Feira dá credibilidade à marca

A empresa Biscobom Alimentos Ltda, de Mato Leitão, participa da feira há oito anos. Conforme o proprietário, Evanir Diehl, os objetivos de conquistar novos clientes a cada ano e divulgar a marca sempre são alcançados. Ele diz que participar de uma feira neste âmbito dá credibilidade à marca.

Este ano, a empresa lançou dois produtos: os mini wafers Khakk e dos times Grêmio e Internacional.

A Biscobom atua no ramo há 11 anos. Trabalha com 70 itens nas regiões sul do país, Uruguai, Chile, El Salvador, Paraguai e Angola. A pretensão é expandir o mercado externo.

Gota Limpa apresenta sabão líquido

A empresa Gota Limpa, de Imigrante, pelo segundo ano é copatrocinadora da Expoagas e pelo sexto participa do evento. Conforme a diretora, Camile Bertolini, a feira oportuniza grandes retornos em vendas para a empresa.

Ela cita que expor significa uma troca com o cliente. “Ele compra nosso produto para revendê-lo. É importante divulgarmos a marca.”

Neste ano, a Gota Limpa apresentou um lançamento da sua linha – o lava roupas líquido. Conforme Camile, o produto é uma tendência do mercado, já criado por grandes marcas. Ela relata que ele é forte, concentrado e mais econômico que o em pó. Sua embalagem e custo são destinados à classe C. A tampa é dosadora e poderá ser usada na máquina de lavar roupas.

A empresa tem 45 anos de atuação no mercado, produz 140 itens e atende o Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

A história da empresa teve início com a produção dos sabões Santo Antônio, que visava abastecer só o mercado regional. Denominada na época de Bertolini Giongo e Cia Ltda, a empresa cresceu, trocou de nome, passando a chamar-se Bertolini Indústria Química Ltda.

Hoje, além dos sabões Campeão e Santo Antônio, a Bertolini conta com uma linha de produtos da marca Gota Limpa: detergente, desinfetante, água sanitária, alvejante, amaciantes, esponja de lã de aço, superesponja, esponja dupla face, detergente sanitário líquido, detergente sanitário em bastão, pedra sanitária, pano multiuso, esponja metálica, tira manchas, antimofo, naftalina, lava roupas, prendedor de roupas e institucional.

Conta com 120 funcionários, que produzem por mês mais de dois milhões de litros de produtos líquidos, 600 toneladas de sabões em barra e 400 toneladas de lava roupas em pó.

Languiru divulgou troca de marca

A Languiru, de Teutônia, usou a Expoagas para apresentar a nova linha Languiru Lácteos, que começa a ser produzida em outubro. A marca Mimi será fabricada só em sachê, com preço mais acessível.

Conforme o gerente comercial, Rucart Stapenhorst, foi realizada uma pesquisa no estado sobre a marca Mimi. Poucas pessoas a conheciam e sabiam que fazia parte do grupo Languiru. Por isso, a empresa decidiu fazer as mudanças de nome.

Este ano é a nona edição consecutiva que a Languiru participa da feira. A empresa trabalha com aves, embutidos e lácteos. E a partir de 2012 trabalhará com carne suína e seus embutidos.

Hoje, são atendidos 18 estados brasileiros e 75% das cidades gaúchas consomem os produtos da Languiru. A metade da produção de aves fica no mercado interno. Os embutidos são vendidos no estado, só a salsicha é exportada para os Emirados Árabes. Os lácteos ficam nos estados da região sul.

No estande da Languiru, vendedores, supervisores e coordenadores das centrais de distribuição receberam visitantes e clientes. Da linha de produtos alimentícios, ganhou destaque o Chocolan UHT em sachê, com durabilidade de três meses. Foi realizada a degustação do achocolatado.

Apostando na divulgação da marca

É a segunda edição da Expoagas que a Centralsul, de Lajeado, participa. A empresa trabalha com produtos automotivos de embelezamento e está há 16 anos no mercado. Na feira apresentou dois novos produtos – Kit Car e Kir Car Finalizador, com silicones e aromatizantes.

Conforme o representante, Michel Schott, a empresa produz 80 itens e vende para todo o país. Ele conta que durante a feira seus representantes fecharam negócios com consumidores do Pará, Paraguai e Chile.

Schott relata que a meta é lançar produtos a cada 60 dias. Segundo ele, isso divulga o nome da empresa, que está apostando em marketing.

Feira servirá para fortalecer contatos com clientes

A Verde Vida, de Estrela, é uma empresa especializada no controle de pragas urbanas e de qualidade da água. Ela expõe na feira há quatro anos. Conforme o representante comercial, Fernando Henz, a Expoagas oportuniza a divulgação da marca no estado e fortalece os negócios com os clientes.

Segundo ele, outras empresas que têm contratos com a Verde Vida também expõem. “Expor aqui significa que estamos buscando força no mercado.” Neste ano, a novidade apresentada é a linha de controle sem produtos químicos, como armadilhas luminosas.

A empresa atende hospitais, clínicas, hotéis, indústria de alimentação, restaurantes, entre outros. Em 2007 ela foi reconhecida pela qualidade dos serviços com uma medalha de bronze no Programa Qualidade RS Ciclo 2007.

No controle de água a empresa atua com a higienização de reservatórios de água; venda de equipamentos e serviços para cloração; monitoramento da qualidade da água em poços artesianos; manutenção da qualidade da água em piscinas de uso coletivo e higienização de bebedouros de água.

E no controle de pragas urbanas trabalha com desratização, descupinização, desinsetização; controle de moscas, controle de pombos, controle de pragas, expurgo, e venda de armadilhas.

Planeja ampliar estande para próxima edição

A empresa Di Hellen Cosméticos, de Encantado, participa da feira há cinco edições. Este ano, ela dividiu um espaço pequeno com outras empresas, mas chamou atenção dos visitantes com a demonstração de maquiagem.

Na feira, a empresa lançou a linha de xampu, condicionador, creme de tratamento e creme para pentear sem enxágue anti-idade. O produto começou a ser fabricado em agosto e está com fortes reflexos de aceitação no mercado.

A linha é a primeira do varejo na região. A empresa se preocupou em fazer uma linha mais barata que a vendida para profissionais. O produto repõe as vitaminas perdidas no cabelo com o tempo, sol e outros fatores e age como um protetor.

Conforme a gerente, Daiane Fontana, para o próximo ano a empresa terá um espaço maior na feira. Ela considera a exposição um investimento e diz que ela difunde a marca para o Brasil, devido à variedade de visitantes.

A Di Hellen Cosméticos tem 16 anos de mercado, trabalha com linhas de maquiagem, xampu e solar.