Representantes do G8 viajam a Brasília

Notícia

Representantes do G8 viajam a Brasília

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

Os prefeitos e vereado­res de sete dos oito municípios do Con­sórcio Público Inter­municipal para Assuntos Estra­tégicos (Cipae) G8 gastarão R$ 25.045 de verba municipal pe­los quatro dias que ficarão em Brasília (DF). O município de Cruzeiro do Sul foi o único sem representação na comitiva.

O prefeito de Canudos do Vale, Cléo Lemes da Silva, é quem mais gastará em diárias e em passagens: R$ 4.750. Em segui­da, aparece o prefeito de Bo­queirão do Leão, João Davi Go­ergen, que usará R$ 2.730,60 do orçamento municipal (confira a relação completa no quadro).

Os vereadores Gerson Drebes (PSDB), de Forquetinha, Henri­que Goettems (PMDB), de Santa Clara do Sul, e Aline Röhrig (PT) e Guido Arend (PMDB), de Mar­ques de Souza, acompanham a comitiva. Os quatro custarão R$ 9.249 aos cofres públicos pelo mesmo período.

A viagem começou neste do­mingo e se estende até a quin­ta-feira. Alguns retornam ama­nhã, como o prefeito de Santa Clara do Sul, Paulo Kohlrausch.

A comitiva desembarcou em Brasília para audiências com os ministérios dos Transportes, do Desenvolvimento Agrário, e para buscar recursos federais para os projetos de saneamento básico e da rota turística do G8.

Segundo o secretário-executi­vo, Maico Berghahn, buscarão verbas federais para a constru­ção de quatro creches na região e o pagamento do programa de recolhimento de lixo.

Os vereadores aproveitaram a viagem para tentar emendas parlamentares, como constru­ção de uma cobertura para gi­násio escolar e a inclusão do Centro Regional de Tratamento e Recuperação do Alcoolismo de Lajeado (Central) para receber recursos da União.

Variação no preço das passagens

Alguns prefeitos gasta­ram R$ 585,20 para os bilhetes de ida e volta – como o caso do vice-prefeito de Sério, Moacyr Rodrigues.

Em Forquetinha, o pre­feito Waldemar Richter e o vereador Gerson Dre­bes gastaram R$ 1,6 mil em passagens cada um. Alguns prefeitos deixaram para comprar as passa­gens mais tarde, tentando baratear o custeio.

Foi o caso do prefeito de Progresso, Edegar Cerba­ro, que viajou ontem e o custo foi de R$ 877,10. Em compensação, a diá­ria dele é a mais cara de todos: serão, no mínimo, R$ 2.155 por três dias de estadia.

Acompanhe
nossas
redes sociais