Plano Safra incentiva a agricultura familiar

Notícia

Plano Safra incentiva a agricultura familiar

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Na manhã de ontem, Sério sediou o lançamento do Plano Safra Estadual 2011. O projeto apresentado pelo governador Tarso Genro prevê inves­timentos de R$ 1,1 bilhão para o cré­dito agrícola, financiados com juros reduzidos pelo Banrisul.

O valor poderá será destinado ao custeio, investimentos e vendas nas propriedades. Além destes recursos, os agricultores terão disponíveis mais R$ 14 bilhões do orçamento do governo federal.

Conforme Genro, tanto os recur­sos estaduais quanto os federais estão disponíveis. Baseado no nome do município hóspede, o governo deu seriedade frente ao Plano Safra Gaúcho. “Todos os planos no início enfrentam dificuldades. De pouco em pouco nos ajustaremos.”

safraO governador destacou o muni­cípio, onde os 700 agricultores fa­miliares terão condições de aces­sar ao plano. “Escolhemos Sério, pois é um município onde 90% da arrecadação provê da agricultura familiar, não tem indústrias nem acesso asfáltico.”

Representando os trabalhadores rurais, frei Sérgio, da Via Campesina, disse que o plano é importante e não deve ser um ponto de chegada, mas de partida. O governo do estado pre­cisa estar atento às questões das dívi­das dos agricultores junto ao Pronaf.

O presidente da Fetraf-sul, Celso Ludwig chamou um agricultor para se sentar ao lado do governador e reforçou a importância desses traba­lhadores, não teríamos o pão, o leite e o alimento que vai pra nossa mesa todos os dias.

O Plano Safra Gaúcho abrange toda a atividade agrícola: como pro­dução, processamento e venda dos produtos, serviços e insumos agríco­las, pecuários, pesqueiros e florestais.

As ações e investimentos previstos no plano abrangem de julho de 2011 a junho de 2012. Agricultores fami­liares e não, pescadores, pecuaristas, colonos, assentados e de comunida­des quilombolas e produtores estão contemplados no plano.

Agricultores contentes

O agricultor Ardêmio Brandt, 54, foi chamado durante a solenidade até o palco para se sentar ao lado de Genro. Morador de Araguari, em Sério, tem 7,2 hectares onde cultiva fumo e milho. Apesar de não conse­guir fazer pedidos ao governador, Brandt destacou a importância do Plano Safra para fortalecer a cadeia produtiva da região.

Alfredo Schubert, 57, morador de Sampaio, em Sério, cultiva o fumo e trabalha com a produção leiteira. Ele destaca que, se esse tipo de plano fosse oferecido no passado, talvez suas três filhas tivessem permanecido no cam­po, que perante as inseguranças no campo, preferiram a cidade grande.

Como acessar

Os agricultores familiares que desejarem acessar as linhas de crédito dos programas do Plano Safra Gaúcho devem apre­sentar a declaração de aptidão ao Pronaf (DAP), que poderá ser emitida pela Emater, Movimento dos Pequenos Agricul­tores, sindicatos da Fetag e Fetraf, e sindicatos rurais habi­litados.

Interessados podem obter mais informações nos escritórios locais da Emater, Inspetorias Veterinárias, Irga e Coordena­dorias Regionais da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio e Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo.

Principais enfoques

Valorização do Leite Gaúcho: Melhorar a qualificação do agri­cultor familiar produtor de leite, visando o aumento da sua produ­tividade e qualidade do produto.

Agropecuária de Base Ecoló­gica: Assistência técnica, apoio à venda e financiamento para tran­sição de cultivos convencionais aos cultivos ecológicos.

Política de valorização da Car­ne Bovina e Ovina: financiamen­to subsidiado específico ao pecu­arista familiar.

Programa RS Pesca e Aquicultu­ra: financiamento e capacitação aos pescadores e aquicultures.

Programa Irrigando a Agricul­tura Familiar: Financiamento e assistência técnica para projetos de irrigação na agricultura fami­liar.

Plano Estadual de Irrigação: Cofinanciamento para a constru­ção de açudes e em melhorias na infraestrutura para a irrigação.

Política de Assistência Técnica: Contratação de 200 novos técni­cos Ascar-Emater.

Política de Pesquisa Agropecuá­ria: contratação de 60 novos téc­nicos da Fepagro.

Política de Sanidade Agropecu­ária: Adesão e início de implanta­ção do Suasa/SISBI (Inspeção de produtores de origem animal).

Política de Inclusão Digital: Im­plantação de 20 Unidades Tecno­lógicas de Desenvolvimento So­cial nos 4 territórios da Cidadania e capacitação para o acesso de jovens.

Isenção de ICMS nas vendas de alimentos dos produtores fa­miliares destinados à merenda escolar.

Projeto de lei que institui a po­lítica de agroindústria familiar e política compras governamentais da agricultura familiar.

Qualificação da infraestrutura dos assentamentos.