Professores debatem problemas do ensino público

Notícia

Professores debatem problemas do ensino público

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

A preocupação com os índices de reprovação e a evasão escolar dos alunos da rede de en­sino estadual são temas de um evento inédito na região. Quase dois mil professores de 32 muni­cípios pertencentes a 3ª Coorde­nadoria Regional de Educação (CRE) participam do I Encontro Regional de Professores da Rede Pública na Univates.

creO evento começou ontem e se encerra hoje à noite. Os te­mas foram: Educação Contem­porânea e a Formação Conti­nuada do Profissional. Serão sete encontros temáticos com participação de 12 palestran­tes a cada dia.

Segundo Marisa Bastos, coor­denadora da 3ª CRE, a progra­mação é voltada aos professo­res do Ensino Fundamental e Médio da região e integrará as direções das escolas com as coordenadorias, além de difundir as políticas públicas educacionais.

Ela diz que a educação é um processo de crescimento pesso­al, coletivo e de aprendizagem permanente, que requer reno­vação pedagógica. “É preciso um currículo que atenda os de­safios de hoje e do paradigma da qualidade social.”

Segundo ela, a proposta vem ao encontro das metas da Se­cretaria de Estado de Educação (Seduc), que prioriza a valori­zação profissional e formação continuada.

Durante a manhã de ontem, os participantes acompanha­ram a palestra “Educação Con­temporânea”, ministrada pe­las professoras Vera Miranda e Sandra Corazza. Hoje, o coorde­nador pedagógico Seduc, Sílvio Rocha fala sobre as políticas públicas educacionais do atual governo.

Os docentes participam de sete grupos de discussão: As­Perspectivas para o Ensino Médio: Repensando o Currículo no Contexto das Tecnologias e do Trabalho; Alfabetização e Letramento nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental; Ação Pedagogia na Construção do Paradigma da não violência; Perspectivas e Desafios no Es­tudo das Ciências exatas para o Século XX; Tecnologias e Edu­cação; Diversidade Cultural e o Currículo Necessário para Atender o Mundo Atual; e Mú­sica e Educação: Expressão Cul­tural Importante para a Apren­dizagem.

Destaque das palestras

Entre os assuntos destaque para a dis­cussão sobre as perspectivas para o Ensi­no Médio. Para a professora Karen Noda­ri, é possível criar “protótipos” de novas turmas com diferentes currículos e dura­ção de aulas. “Dando certo, poderá ser implantado em toda escola.”

Ela cita problemas de evasão escolar, baixas notas e reprovação de alunos como principais pontos a serem analisa­dos. Hoje, 22% dos alunos do Ensino Mé­dio estadual abandonam a escola antes do fim do ano letivo.

Ela sugere ainda a possibilidade de criar horários de estudos para os profes­sores durante a jornada de trabalho. A proposta da Seduc para 2010 prevê que 30% da carga horária seja utilizada para esta qualificação. “Além disso, creio que as reuniões internas devam ser pedagó­gicas e não administrativas.”

Para a responsável pela palestra sobre alfabetização e letramento, a professora Ivany Souza Ávila, é preciso analisar com mais atenção o aprendizado das crianças antes de ingressarem na escola.

Segundo ela, é preciso analisar melhor o contexto cultural de todos os estudan­tes, pois cada um deve ser analisado de forma individual, visto que estão em di­ferentes classes sociais e graus de apren­dizagem.

Acompanhe
nossas
redes sociais