Leite está mais caro para o consumidor

Notícia

Leite está mais caro para o consumidor

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O frio intenso dos últimos dias reflete na produção de leite, cuja queda che­ga a 30% em algumas propriedades do Vale do Taquari.

Com isso, o preço do litro no mer­cado tende a aumentar. O consu­midor já começa a sentir no bolso. O produto deve fechar a semana com um acréscimo de 5% a 8%.

A tendência, entretanto, é de que o preço se estabilize até o fim do mês, a não ser que a temperatu­ra volte a cair, prevê a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas).

leiteSegundo o presidente da enti­dade, Antônio Cesa Longo, como o período de entressafra do leite vai até agosto, há ainda uma pequena margem para algum aumento.

O dirigente acredita que o efei­to possa ser reduzido, já que o produtor tem se preparado me­lhor para esta época do ano com ração de qualidade para o gado, em razão dos problemas com frio intenso e geadas afetarem as pastagens.

Para o Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado (Sindilat), a queda estimada na produção de leite deverá ser próxima a 15 mi­lhões de litros até o fim do mês, comparada ao mesmo período de 2010. “Calculamos uma redução de até 10% na produção do leite em julho, o que significa 500 mil litros por dia. A situação deve ser normalizada na segunda quinze­na de agosto”, projeta o diretor do Sindilat, Darlan Palharini.

O litro do leite, embalagem lon­ga vida, está em média 8% mais caro nos supermercados, chegan­do a R$ 2,02. O preço recebido pe­los produtores na região gira em torno de R$ 0,84 por litro.

Queda no consumo

O aumento no preço do litro de leite nas gôndolas dos supermercados fará com que a compra recue nas próximas semanas. A costureira Adelaide Maria Johann, 59, diz que será obrigada a reduzir o consu­mo. “O jeito será aproveitar as promoções ou diminuir a quantidade de leite consu­mida.”

Ela acha injusto com os produtores que o preço au­mente só no mercado e não na propriedade.