Embriagados na mira

Notícia

Embriagados na mira

Por

A operação especial e inédita na região entre órgãos policiais e departamento de trânsito prendeu em flagrante 25 motoristas e autuou cem por embriaguez ao volante. O trabalho foi realizado durante três madrugadas, totalizando mais de 20 horas de atividade para coibir o crime.

A concentração começou às 0h30min de sábado, quando policiais civis, militares, rodoviários e fiscais do trânsito de Lajeado reuniram-se no Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO-VT). E se encerrou na segunda-feira, às 2h. A missão foi clara – parar todos os motoristas, em cada uma das barreiras, a fim de flagrar bêbados ao volante.

operaçãoForam criadas quatro equipes, com policiais de cada um dos órgãos, que de forma simultânea se posicionaram em pontos estratégicos. Trabalharam em média por noite, 20 policiais militares, três policiais rodoviários estaduais, 14 policiais rodoviários federais, oito policiais civis e cinco agentes de trânsito.

Os resultados na operação foram divulgados ontem à tarde no CRPO-VT, onde os oficiais de cada órgão definiram que mais operações como essa ocorrerão nas próximas semanas.

Quatro dos cinco oficiais declararam que a cobrança da lei está frouxa da lei na região, tanto por parte dos motoristas, que dirigem alcoolizados, como dos órgãos de segurança que precisam fiscalizar mais.

Os comandantes da Brigada Militar (BM), tenente-coronel Antônio Scussel; da Polícia Civil, delegada Flávia Colossi Frey; da Polícia Rodoviária Federal (PRF), inspetor Adão Vilar Madril; da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), capitão Samaroni Zappe; e do Departamento de Trânsito, Luis Felipe Finkler, firmaram acordo para realizar mais operações.

A delegada diz que a população não acredita que a lei é eficiente. E salienta que nessas operações só tem a perder quem estiver em desacordo com a lei.

O inspetor da PRF diz que os órgãos não devem se preocupar se cem condutores autuados ficaram chateados com a ação, mas pensar no bem que fizeram para outros mil que seguem a lei.

O capitão da PRE lembra que nos índices nacional o trânsito está na terceira posição entre as causas mais violentas de morte – a maior por influência do álcool. Ele afirma que com essa operação demonstra que não há limites territoriais porque os órgãos trabalharam em conjunto.

Números da operação

649 veículos fiscalizados

100 autuados por embriaguez

25 presos em flagrante por embriaguez

3 encaminhados para o presídio

99 Carteiras Nacionais de Habilitação apreendidas

34 veículos recolhidos

R$ 14.190 arrecadados com fiança

As três madrugadas de operação

Na primeira noite, as barreiras estiveram no bairro Americano, próximo do Café Virtual; na Av. Senador Alberto Pasqualini, próximo do Posto Fascina, no centro de Lajeado, próximo da Sprits; e na RS-130, próximo do Show Clube. A atividade se iniciou à 1h e se encerrou às 6h. Todos os motoristas que passavam pelos pontos foram parados e convidados a fazer o teste.

Por volta de 1h40min, foi preso o primeiro condutor embriagado. O jovem, ao avistar a barreira policial, tentou fugir em alta velocidade. Em seguida, parou o veículo no meio da rua e correu em direção a uma casa. A polícia perseguiu o motorista e o capturou. Ele foi convidado a fazer o teste do bafômetro. Mas, se negou.

Seus sinais de embriaguez eram visíveis e dentro do veículo havia uma garrafa de cachaça pela metade. Mas, como se negou a fazer o teste sofrerá a punição administrativa da lei, podendo perder sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH). “Eu estava em condições de dirigir, mesmo bêbado.”

Duas horas depois, outro condutor que foi parado para verificação estava conduzindo seu veículo sem habilitação. Há poucas horas ele havia sido multado em outra barreira policial. Na primeira abordagem ele sofreu multa administrativa, sua CNH foi retirada e ele chamou outro condutor para levar seu veículo.

Quase no fim da madrugada, na RS-130, um jovem com CNH provisória saiu de uma festa conduzindo alcoolizado seu veículo. Daqui a uma semana ele receberia sua habilitação permanente.

No sábado à noite, o trecho da Rota do Sol, próximo da antiga Lupus, foi acrescentado à rota de abordagens. Nesta madrugada, 15 motoristas foram presos em flagrante porque estavam embriagados.

No domingo a operação se iniciou às 21h. Os policiais atuaram em apenas um ponto, mas por quatro horas. Foram quatro barreiras – três na BR-386 e uma no bairro Olarias. Todas próximas do Country Club.

Na BR-386, a PRF comandou as barreiras e sinalizou a rodovia. Todos os carros que saíam da festa eram desviados para um corredor criado por cones. Os motoristas foram abordados e convidados a fazer os testes.

Foram autuados 45 condutores por embriaguez. Destes, nove incorreram no crime. Foram flagrados também um condutor sem CNH, 20 veículos removidos ao depósito por variadas infrações cometidas. Um motorista estava com o seu direito de dirigir suspenso, e outras 23 infrações de trânsito foram registradas.

Para evitar fugas, na rua lateral, no bairro Olarias, outra barreira comandada pela BM parava os veículos.

Mudanças na lei

Desde março o Conselho Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Cetran) alterou um artigo da chamada Lei Seca, criada em 2008. A resolução estabelece que o condutor que se recusar a se submeter a testes de alcoolemia, exames clínicos e perícia será punido com retenção do veículo e recolhimento da CNH.

Por lei o motorista que for flagrado sob efeito de álcool – 0,15 miligramas a 0,29 miligramas de álcool por litro de ar expelido – é enquadrado no artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). O processo fica no Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Porém, aquele condutor que atingir o limite de 0,30 miligramas, com mais 0,02 de tolerância comete também crime de trânsito, pelo artigo 306 do CTB, que prevê entre outras penalidades a detenção.

Números motivaram as blitze

Na semana passada, o jornal A Hora do Vale divulgou reportagem com levantamento feito pelos órgãos de segurança pública sobre embriaguez ao volante. Esses dados foram um dos motivadores do trabalho.

O número de embriagados ao volante na região aumentou 124% em comparação ao primeiro semestre do ano passado. De 276 registros passou a 619.