Comunidade se empenha em preservar afluentes

Notícia

Comunidade se empenha em preservar afluentes

Por

Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

A ação coordenada pela Associação de Presta­ção de Serviços e Assis­tência Técnica de Sam­paio (Apsat) mobilizou escolas e parte da comunidade do Vale do Sampaio no recolhimento de lixo dos arroios locais e arredores.

Desde o início da semana, mais de 200 pessoas percorreram dez qui­lômetros do leito dos arroios Sam­paio e Sampainho. A equipe coletou cerca de 2,5 toneladas de lixo.

A ação terminou, nesta sexta-feira, com palestras relacionadas à preservação ambiental, na So­ciedade Esportiva Sampaio (Soe­sa), e com o plantio de árvores no leito dos arroios. Participaram das atividades 250 alunos de es­colas de Mato Leitão, Santa Clara do Sul e Cruzeiro do Sul.

apsatUma nova mobilização está garantida para 2012. Conforme o presidente da Apsat, Aloísio Heisler, a ação não deve ser vis­ta como uma obrigação anual da associação em recolher o lixo. “Todos os dias devemos ter este compromisso.”

Ele destacou a importância de conscientizar a sociedade na preser­vação do ambiente. “Infelizmente, muitas pessoas deixam de cumprir seu dever. Aqueles que realmente deveriam participar se omitem.”

O biólogo da administração mu­nicipal de Santa Clara do Sul, Luiz Stefens, destaca a mobilização dos moradores, que na sua visão, de­veriam servir de inspiração para ações semelhantes em toda região. “Estamos confinados em um pla­neta e tudo que fazemos agora se refletirá no futuro.”

Stefens falou que o envolvimen­to das escolas é importante para educar os alunos. “Precisamos in­ tensificar a educação ambiental para formar cidadãos mais cons­cientes.”

A extensionista da Emater, Sandra Gerhardt, ressaltou a im­portância de desenvolver o senso de preservação desde cedo. A edu­cação deve partir de casa com a separação do lixo, reaproveitando materiais orgânicos e classifican­do os descartáveis.

O professor Eloi Luft destacou que a quantidade de lixo coletada não é importante, mas sim a conscienti­zação e a mensagem que será pas­sada à comunidade. “É importante o cuidado permanente.”

O material coletado será recolhi­do pela Administração Municipal de Santa Clara do Sul e encaminha­do para a Usina de Minas do Leão.

“O arroio é nosso maior patrimônio”

O voluntário Daniel Heisler, 28 anos, se surpreendeu com a varie­dade de lixo encontrado. Conside­rando ser proveniente da enchen­te de abril ele destacou que foram encontrados até freezers e fogões.

Ele se lembra das épocas de guri, quando costumava tomar banho no local. Hoje, lamenta que as crianças não tenham esta oportunidade.

Heisler cobra mais empenho da comunidade em preservar o arroio, sendo que este é um dos afluentes mais limpos da região. “Se não cuidarmos ago­ra, perderemos o nosso maior patrimônio.”

Saiba mais

A Apsat foi fundada em 1º de setembro de 1988 com o propósito de preservar o Ar­roio Sampaio, pois nele eram depositados dejetos animais. Desde então, cinco coletas co­munitárias foram realizadas. Em 2010, foram retiradas dos leitos do arroio cinco toneladas de lixo.

Acompanhe
nossas
redes sociais