Partido realiza convenção sem  autorização

Notícia

Partido realiza convenção sem autorização

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A convenção realizada ontem na câmara de vereadores entre filia­dos do Partido Demo­crático Trabalhista (PDT) preten­deu eleger o vereador Paulo Tori como presidente, contrariando a determinação estadual.

pdtConforme o deputado federal e presidente da Comissão Pro­visória Municipal Ênio Bacci, a votação é inválida. “É uma rebe­lião absurda.” Segundo ele, ine­xiste autorização do presidente estadual da sigla, Romildo Bol­zan Júnior. “Caberá punição na comissão de ética.”

O secretário de Cultura de Lajeado e membro da comis­são provisória designada pela Executiva Estadual, Gerson Tei­xeira, afirma que a convenção nem pode ser registrada em cartório. “Querem conseguir a presidência de qualquer forma para negociarem cargos no fim do ano.”

Segundo Teixeira, o presiden­te do partido continuará sendo Ênio Bacci. As ações internas do partido são soberanas e não po­dem ser levadas à Justiça.

Tori diz seguir a lei

O assessor de Tori registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia afirman­do que não conseguiu o livro ata das últimas reuniões do partido. Ele diz que está se­guindo as instruções do Ma­nual de Convenções 2011 que permite ao PDT municipal designar outra data para re­alizar a eleição. “O tempo da ditadura passou.” Tori lembra que nenhum encontro havia sido realizado desde 2009.