Estado deve R$ 2,1 milhões para o hospital

Notícia

Estado deve R$ 2,1 milhões para o hospital

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Os impasses financeiros en­tre o governo do estado e o Hos­pital Bruno Born (HBB) seguem há seis meses. A dívida estadu­al com a casa de saúde é de R$ 2,1 milhões e não há previsão de pagamento. A administra­ção do HBB abriu um processo administrativo e na próxima semana deverá procurar o Mi­nistério Público (MP).

calegaroEm novembro foi firmado um novo contrato para o Sis­tema Único de Saúde (SUS). O hospital ampliaria o número de atendimentos para suprir a demanda e o estado custearia este aumento. Com a troca de governo, este não cumpriu as mudanças, repassando os valo­res do teto antigo.

Conforme o diretor admi­nistrativo do HBB, Élcio Dar­ci Callegaro, para manter os atendimentos e pagar parte das dívidas com os fornecedo­res foi pedido um empréstimo bancário. “Estamos pagando juros por uma conta do estado. Não sei se teremos essa reposi­ção no futuro.”

Em fevereiro e março foram feitas reuniões em que o esta­do se comprometeu em pagar a dívida, mas conforme Calle­garo, hoje sequer e-mails são respondidos.

Callegaro cita o exemplo de março. A cota antiga de aten­dimento era de 190 consultas de alta complexidade. Na nova cota o número aumenta para 230. E neste mês, devido à de­manda foram atendidas 387 pessoas. “Recebemos parcelado apenas as 190. As demais 197 ficaram em dívida.”

A partir deste mês o HBB não atende mais além da cota firma­da. Os pacientes que procurarem o hospital depois do excedido são encaminhados à 16ª Coorde­nadoria de Saúde. “Claro que em casos de emergência atendere­mos de qualquer forma.”

O diretor administrativo afir­ma que não gostaria de brigar com o governo do estado, mas que precisa manter a casa em funcionamento. Ele conta que está renegociando títulos com fornecedores e outros encargos internos.