Alunos dormirão em abrigo

Notícia

Alunos dormirão em abrigo

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

No interior do município houve deslizamentos nos barrancos, interrompendo a passagem de veículos em quase todos os acessos. A equipe de funcionários da Secretaria de Obras trabalha no atendimento às famílias atingidas pelo temporal. Foram usadas quatro retroescavadeiras, duas carregadeiras, um trator e caminhões.

O colégio Pedro Albino Muller suspendeu as aulas até que a situação seja revertida. Alunos do diurno, que moram no interior, serão abrigados no centro da cidade. Os servidores públicos que estavam em serviço externo ficaram sem comunicação e ilhados no interior.

serioAlguns moradores foram retirados de suas residências devido ao perigo de mais deslizamentos. Otávio Ferri e sua família são um exemplo. Um barranco atingiu parte de sua casa. “Moro há 35 anos aqui e nunca vi algo parecido”.

Rainilda Schmidt mora em área de risco e disse que não gostaria de abandonar sua casa, mas a Brigada Militar a advertiu para que saísse. O acesso de Forquetinha a Sério está completamente interrompido. A água que invadiu a estrada geral provocou deslizamentos de grandes proporções.

No interior, agricultores procuram a administração municipal comunicando acidentes com aviários e chiqueirões. Um pontilhão foi destruído, na localidade de Sete de Setembro, no sentido Forquetinha a Sério, há três quilômetros da sede.

A água levou pedras e árvores com raízes inteiras. Na cidade choveu 330 milímetros. Não há previsão de quando haverá condições de trafegabilidade de veículos pesados. A administração municipal salienta que o melhor caminho para chegar ao município é pelo bairro Conventos, por Santa Clara do Sul, passando pelas localidades de Nova Santa Cruz, Chapadão, chegando em Colônia Sério.

A empresa de ônibus Sartori suspendeu a linha Sério-Lajeado e não há previsão de retorno do serviço. A partir desta sexta-feira restará o trajeto Sério-Linha Serrana, Alto Arroio Alegre, Chapadão e Santa Clara do Sul para chegar à região baixa.

Situação dos municípios

Em Santa Clara do Sul, duas famílias tiveram de sair de suas casas devido aos riscos de deslizamentos de terra, em Sampainho. Os desmoronamentos obstruíram as estradas de Sampainho, de Sampaio, de Arroio Alegre, e a ligação com o município de Nova Santa Cruz.

Em Sampainho, duas pontes estão interditadas. De acordo com o secretário de Obras, Márcio Hass, o município decretou situação de emergência.

Em Forquetinha, os moradores permanecem ilhados. Segundo o secretário de Obras, Henrique Krüger, o único acesso ao município que não está interditado é pelo bairro Conventos, em Lajeado.

Krüger diz que a enxurrada derrubou parte da sede de Arroio Alegrense e diversos chiqueiros foram atingidos. Ele ressalta que será decretada situação de emergência e a recuperação do município deve demorar, no mínimo, seis meses.

Em Canudos do Vale, a administração municipal ainda decide se será declarada situação de emergência. Segundo o secretário de Obras, Rogério Schmidt, o prefeito se reunirá com os secretários para definir.

Schmidt informa que todos os acessos ao município estão liberados.

Em Venâncio Aires, a forte chuva desta quinta-feira forçou a administração municipal a decretar situação de emergência. Dados do Executivo apontam que centenas de casas foram alagadas na região central e em alguns bairros da cidade.

A área rural foi a mais atingida, com cerca de 200 milímetros de chuva em apenas seis horas, fazendo 80% das aulas do interior serem canceladas devido a interrupção das estradas e falta de linhas disponíveis para transporte escolar.

Em Lajeado, o secretário de Obras, Mozart Lopes, descarta declarar situação de emergência.

Em Sério, os principais problemas foram nas estradas. O acesso ao município, por meio de Forquetinha, está interditado e deve ser liberado na tarde desta sexta-feira. Devido à enxurrada, a prefeita Dolores Kunzler declarou situação de emergência às 9h.

Em Mato Leitão, a administração municipal decretou situação de emergência ainda na noite de quinta-feira. A chuva cancelou 80% das aulas e 35 famílias ficaram desabrigadas. Segundo o prefeito Carlos Alberto Bohn, arroios e córregos transbordaram e localidades ficaram isoladas.

Defesas Civis dos Vales do Rio Pardo, Taquari e Sinos mantêm alerta para cheia dos rios e fortes chuvas até domingo.